SAMU: 18 anos salvando vidas

Barjas Negri
Criado pelo Ministério da Saúde, na gestão do ministro Humberto Costa, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi implantado em Piracicaba no dia 18 de junho de 2004, quando o prefeito era José Machado e o médico dr. João Pauli era o secretário municipal de Saúde.
Sua implantação foi um ganho importante para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), aperfeiçoando e ampliando a cobertura no atendimento das urgências e emergências. Era intenção do ministério financiar 75% de seus gastos, com contrapartida de 25% dos municípios.
Iniciado de forma limitada de infraestrutura e profissionais, ao longo do tempo foi sendo melhor organizado e ampliado os serviços de apoio e de seus profissionais na área da Saúde: técnicos de enfermagem, enfermeiros, médicos, radioperadores e pessoal de apoio administrativo. Periodicamente seus veículos são substituídos por novos e sua estrutura permitiu a organização da Central de Regulação de Urgência.
Os secretários municipais de Saúde desse período – João Pauli, Fernando Cárdenas, Beto Pianelli, Deives Dias de Oliveira, Pedro Mello e, atualmente, Filemon Silvano – sempre deram condições de trabalho à equipe do SAMU, cujos os serviços cresceram com a transformação de Piracicaba em Aglomerado Urbano e, agora, Região Metropolitana. Isso faz com que sejam oferecidos serviços, ultrapassando a fronteira municipal, atendendo desde 2015 diversos municípios do entorno da cidade. 
Visando aprimorar e ampliar os serviços do SAMU, como prefeito e junto com nossa equipe da Saúde substituímos o local alugado no bairro Higienópolis por uma sede própria, moderna e funcional, na av. Dr. Paulo de Moraes, na Paulista. O local escolhido foi estratégico porque permite maior rapidez no atendimento de urgência/emergência do 192. Foi possível reduzir o tempo de deslocamento, chegando ao local do socorro mais rapidamente e evitando mortes e muitas vezes sequelas às pessoas socorridas.
Há que se destacar a importância da parceria com as polícias Militar e Civil, Grupo de Resgate e Atenção às Urgências e Emergências, Corpo de Bombeiros e Guarda Civil Municipal. São nossas forças sempre colaborativas com a equipe técnica dos bons profissionais do SAMU, onde podemos destacar os trabalhos da dra. Flávia de Sá Molina, superintendente de Emergência e Urgência, assim como a coordenadora Administrativa de Enfermagem, Maria Cristina Collonese, que atuou na função por mais de duas décadas. O SAMU é responsável pelo atendimento de 2,5 mil pessoas por mês só em Piracicaba. < /strong>
Antes de encerrar este artigo, quero lembrar também da parceria feita com a Caterpillar Brasil, que cedeu à Secretaria Municipal de Saúde um grupo Gerador GEP50-7 Olympian, produzido em sua unidade Power System Brasil, que foi incorporado em 2012 à infraestrutura do SAMU, operando em caso de falta de energia elétrica da rede concessionária e assegurar o atendimento 24 horas deste trabalho essencial à população de Piracicaba.
O SUS cresceu e se valorizou com o SAMU em Piracicaba, dentro da política de saúde do serviço que teve continuidade em todos esses 18 anos. Vale destacar que atualmente a Prefeitura de Piracicaba financia mais de 75% dos gastos do SAMU, com contrapartida de menos de 25% do Ministério da Saúde, invertendo o compromisso inicialmente previsto, sobrecarregando os cofres públicos municipais.
_____
Barjas Negri, ex-prefeito de Piracicaba

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima