Julho Amarelo – Parceria atua em prevenção de hepatites virais nas ruas

Atividades foram definidas em reunião no início do mês de julho

Projeto “Prevenção na Quebrada”, em parceria com o Cedic (Centro de Doenças Infecto contagiosas) e Consultório na Rua, atua com população em situação de rua

 

O projeto Prevenção na Quebrada, que integra o Caphiv (Centro de Apoio a HIV/Aids e Hepatites Virais), definiu uma parceria com o Cedic (Centro de Doenças Infectocontagiosas) e o Consultório na Rua, ambos da Secretaria Municipal de Saúde, para ações de atendimento à população em situação de rua. As atividades foram definidas em reunião no início de julho.

No próximo dia 26, haverá uma ação de vacinação contra Hepatite B em três locais, iniciando-se a partir das 9h: Centro POP, praça José Bonifácio e área de lazer da Rua do Porto. Serão priorizados os usuários cadastrados, buscando concluir o esquema vacinal nestas pessoas. Já no dia 2 de agosto, no Centro POP, a partir das 9h, acontecem ações com testes rápidos de sífilis e HIV, além de Hepatites, caso o esteja disponível.

A coordenadora do “Prevenção na Quebrada”, Rosangela Souza, destaca que as ações integram a campanha Julho Amarelo, com o objetivo de ampliar a prevenção, principalmente das pessoas em situação de rua. Ela participou da reunião junto com Karina Correa, enfermeira do Cedic, e Carolina Albuquerque Alves, coordenadora do Consultório na Rua.

O presidente do Caphiv, Paulo Soares, aponta a necessidade de projetos sociais sempre estarem em sintonia com programas e ações do governo, com a intenção de complementar o que é oferecido no poder público. “Mantemos o diálogo permanente com os órgãos de governo, assim podemos contribuir a partir dos projetos que desenvolvemos no centro”, explica.

O QUE SÃO HEPATITES VIRAIS? – De acordo com a enfermeira Karina Correa, do Cedic, as hepatites virais são infecções causadas por diferentes vírus que atingem o fígado, causando alterações leves, moderadas ou graves. “Na maioria das vezes são infecções silenciosas, não apresentam sintomas”, aponta. “Entretanto, quando presentes, elas podem se manifestar como cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras”, conclui.

No Brasil, as hepatites virais mais comuns são causadas pelos vírus A, B e C. Existem ainda, com menor frequência, o vírus da hepatite D (com maior registro na região Norte do país) e o vírus da hepatite E, menos comum no Brasil, encontrado com na África e na Ásia.

FORMAS DE CONTÁGIO – As hepatites virais podem ser transmitidas pelo contágio fecal-oral, especialmente em locais com condições precárias de saneamento básico e água, de higiene pessoal e dos alimentos; pela relação sexual desprotegida; pelo contato com sangue contaminado, através do compartilhamento de seringas, agulhas, lâminas de barbear, alicates de unha e outros objetos perfuro-cortantes; da mãe para o filho durante a gravidez (transmissão vertical), e por meio de transfusão de sangue ou hemoderivados.

O contágio via transfusão de sangue já foi muito comum no passado, mas, atualmente é considerado raro, tendo em vista o maior controle e a melhoria das tecnologias de triagem de doadores, além da utilização de sistemas de controle de qualidade mais eficientes.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima