Adilson Maluf: um engenheiro na política

Luciano Almeida

Quis o destino que num curto espaço de tempo eu viesse a público para me manifestar sobre o falecimento de dois grandes homens que administraram Piracicaba. Primeiro foi o professor Antonio Carlos de Mendes Thame, no último dia 28 de abril. Agora escrevo esse artigo para reverenciar a memória do engenheiro Adilson Benedito Maluf, que nos deixou no último dia 13 de julho, aos 78 anos de idade.
O legado tangível de Maluf pode ser presenciado até hoje pelas ruas e avenidas, mesmo após 34 anos da sua última passagem pela administração de Piracicaba. Foi nessa época que o jovem engenheiro, acompanhado por tantos outros idealistas construíram os alicerces que marcariam o desenvolvimento da cidade pelas futuras gerações.
Foi durante o seu mandato, por exemplo, que foi criado o Distrito do Unileste, que marcou o vértice de crescimento industrial em Piracicaba na década de 70. Um espaço que abrigou a vinda de duas grandes multinacionais, caso da Philips e da própria Caterpillar Brasil Ltda, essa última após uma visita de Maluf à cidade de Peoria, Illinois/ Estados Unidos, quando apresentou as atratividades do município e assim selou a viabilidade da nova filial na Noiva da Colina.
Ele também teve um papel crucial no desenvolvimento urbano da cidade, abrindo avenidas como a do Piracicamirim que deu origem ao bairro que leva o mesmo nome e adjacências, assim como a própria Avenida 31 de Março, que possibilitou a expansão do bairro Higienópolis e outros tantos que surgiram como consequência natural desta iniciativa. A construção da atual sede do Poder Executivo em Piracicaba, o prédio do Centro Cívico, localizado na rua Antonio Corrêa Barbosa, nº 2233, também deve ser creditada a ele.
A Festa das Nações de Piracicaba, considerada hoje como uma das maiores festas filantrópicas do Estado de São Paulo, foi gestada em 1983 na sua administração, por meio de uma parceria com a então presidente do Fundo Social de Solidariedade de Piracicaba (Fussp), Rosa Maria Bologna Maluf, com o Centro de Obras Sociais de Piracicaba (Ceoesp) e representantes das entidades assistenciais.
Maluf ainda teve um papel fundamental na criação do Shopping Piracicaba no ano de 1987, em parceria com o empresário da construção civil Romeu Chap Chap. Desnecessário lembrar a importância do Shopping Piracicaba, considerado o maior e mais completo centro de compras e entretenimento da região, com o número de 750 mil visitantes por mês.
Sob a sua gestão, a então provinciana Piracicaba também ganhou uma nova dimensão cultural, com a criação da Coordenação da Ação Cultural, tendo o então o professor, educador e jornalista Alceu Marozzi Righetto como primeiro secretário. Foi neste período de efervescência que Alceu, ao lado de Adolpho Queiroz, Carlos Colognese, Luiz Antonio Lopes Fagundes e tantos outros, criaram o Salão do Humor de Piracicaba em 1974, considerado como um dos mais maiores do mundo no gênero.
Quanto a sua biografia, podemos descrever Maluf como um hábil negociador político, qualidade verificada principalmente no seu primeiro mandato como prefeito, quando assumiu com apenas 28 anos de idade. Importante dizer que ele foi um grande amigo do meu pai, o “português”, como ele costumava chamá-lo e, juntos, vivenciaram belas histórias.
Enfim, deixar um legado é transcender o tempo e espaço. Ser lembrado pela eternidade através de um exemplo alicerçado na essência, valores e visão de cada indivíduo. Sob essa ótica, o engenheiro Adílson Benedito Maluf deixou um legado inquestionável para Piracicaba.

Luciano Almeida, prefeito de Piracicaba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima