Investimentos – Esalq recebe visita Apex-Brasil e delegação dos Emirados Árabes

Representantes do Parque de Sarjah estiveram na universidade no último dia 6

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), que atua para promover os produtos e serviços brasileiros no exterior e atrair investimentos estrangeiros para setores estratégicos da economia brasileira, e uma delegação dos Emirados Árabes, coordenada pelo Presidente do Parque Tecnológico de Pesquisa e Inovação de Sarjah (SRTIP), Hussain Al Mahmoudi, visitaram, neste 6 de julho, a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP).

Para conhecer o ecossistema de inovação brasileiro e os principais players, promover encontro com as principais startups brasileiras de tecnologia com interesse em abrir operações e utilizarem os serviços do parque SRTIP na região do Oriente Médio e Norte da África (MENA), dirigentes da Apex-Brasil e do SRTIP cumpriram extensa programação e divulgaram as oportunidades de ações de expansão internacional.

O encontro aconteceu no Núcleo do Parque Tecnológico de Piracicaba. Inicialmente, a programação envolveu apresentações institucionais com o diretor executivo do Parque Tecnológico de Piracicaba, Flávio Castellari; a presidente da Comissão de Atividades Internacionais da Esalq, Profa. Helaine Carrer; o membro do Conselho Deliberativo da EsalqTec, Prof. José Belasque Junior; o docente do Departamento de Ciências Florestais da Esalq, Prof. Weber Amaral; Apex Brasil; Parque Tecnológico de Pesquisa e Inovação (SRTIP).

Segundo o diretor executivo do Parque Tecnológico de Piracicaba, Flávio Castellari, o diálogo com empresários árabes pode promover uma transição energética mais eficiente. “Eles estão conhecendo alguns ecossistemas no País e um dos selecionados é o de Piracicaba, já que a agricultura é a base da nossa tecnologia, além da bioenergia, tema no qual o Brasil é referência. Isso porque os produtores de petróleo daquela região têm dialogado conosco a fim de promover uma transição energética mais eficiente”.

A analista de expansão internacional da Apex Brasil, Adamita Mizuno Inoue, acompanha o grupo pelo Brasil durante essa semana. “Piracicaba é uma das referências em inovação no agro e nosso propósito é levar o melhor do Brasil para o mundo. Essa é uma oportunidade para que empresas brasileiras possam expandir sua atuação para novos mercados nos Emirados”.

A presidente da Comissão de Relações Internacionais, professora Helaine Carrer, falou sobre a oportunidade que pode se apresentar com essa interação. “É importante mantermos contato com essas empresas pois trata-se de uma oportunidade que pode abrir a possibilidade dos nossos estudantes atuarem em diversas áreas dentro da agricultura, em vários países”.

PITCHES – Em um segundo momento, a delegação teve contato com as startups sediadas na EsalqTec – Agromakers, Agromic, Justy BioSolutions, além da Ideelab Biotecnologia, esta última, um spin-off do Laboratório de Fisiologia e Bioquímica Fitopatológica da Esalq.

“A expectativa é que nossa empresa possa ampliar sua presença para os países árabes, uma vez nosso modelo de negócio foi criado para auxiliar qualquer sistema agrícola, contribuindo para o uso racional de defensivos agrícolas e fertilizantes químicos, redução da poluição ambiental e oferta de alimentos mais saudáveis”, contou Sérgio F. Pascholati, proprietário da Ideelab.

José Belasque Junior, do Conselho Deliberativo  da EsalqTec, também sinalizou sobre a oportunidade de ampliação do mercado de atuação das startups brasileiras. “É fundamental entendermos que isso integra o processo de internacionalização da universidade como um todo. No caso desse grupo dos Emirados, eles buscam soluções tecnológicas para investir, o que pode dar a oportunidade para que as nossas empresas incubadas ampliem seus mercados a partir de um grande investimento”.

SHARJAH – É o terceiro maior emirado, depois de Abu Dhabi e Dubai. É o único emirado que compartilha suas fronteiras com todos os outros seis Emirados Árabes Unidos. Em 2020, Sharjah ficou em primeiro lugar em ‘Ecossistemas de alto crescimento’ no Relatório Global de Ecossistemas. O Parque Tecnológico de Pesquisa e Inovação de Sharjah desenvolve e gerencia uma zona franca para pesquisa e o desenvolvimento de ecossistemas de inovação e apoio às atividades empresariais em seis setores: gestão de recursos hídricos, energias renováveis, tecnologia ambiental, transporte e logística, tecnologias digitais (big data, IoT, smart cities) e manufatura inteligente.

Trata-se de um mercado culturalmente distante do ambiente de negócios brasileiros e o apoio local especializado é fundamental para diminuição dos riscos e aceleração do processo de instalação local. O Programa de Aceleração apoiará empresas brasileiras a se estabelecerem e abrirem operações nos Emirados Árabes Unidos e expandirem para toda a região MENA. Por meio desse Programa, os empreendedores brasileiros receberão metodologia, ferramentas e suporte para escalar seus negócios e acessar o ecossistema tecnológico exclusivo de Sharjah, Emirados Árabes Unidos e toda a região MENA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima