Notícias +

PRIMEIRA

Pelo jeito, a polêmica greve dos servidores municipais de Piracicaba só terminará com a palavra decisiva da justiça. Quando, ainda não se sabe. Enquanto isso, nas muitas entrevistas (de ambos os lados), sobram revelações e controvérsias. Sindicalistas dizem que recebem muitas denúncias que mostram um governo sem liderança, com inúmeros problemas, principalmente no setor da educação; enquanto o chefe do poder executivo municipal garante que o movimento é político e que serão descontados os dias parados. Explica ser injusto para com aqueles que trabalharam ou estão trabalhando. Nem a Câmara de Vereadores está conseguindo mediar um possível entendimento. Costuma-se dizer que, quando uma negociação entre patrão e empregado é judicializada, os dois perdem.

 

MUITOS APLAUSOS

Quando do evento sobre autismo, sábado (9), no anfiteatro lotado da ACIPI, a palestrante Michelly Basso iniciou a sua conversação dizendo: “Confesso estar emocionada. Piracicaba está de parabéns, pois vejo a casa cheia com jovens e adultos, para debatermos um tema importante. Aplausos para vocês por essa demonstração de interesse e maturidade”. Realmente as duas palestras promovidas pelo gabinete do deputado estadual Roberto Morais (Cidadania) superou todas as expectativas e teve momentos distintos, onde se misturaram esclarecimentos, ensinamentos e emoção. A parte final, com o público interagindo com os dois ótimos conferencistas (Michelly Basso e Luiz Antonio Porto), foi marcante. Nota máxima para a iniciativa e organização.

 

ABRE E FECHA

Comércio piracicabano vai abrir nesta Sexta-Feira Santa (15) e também na quinta-feira da próxima semana, dia 21, feriado nacional, segundo as autoridades. Bancos fecham nesta sexta (15) e também no Dia de Tiradentes. Cá entre nós: nada deveria funcionar na sexta-feira da Paixão. Religiosidade.

 

MUDANDO MENTALIDADE

O XV já tem a certeza de que precisa mudar o seu comportamento administrativo rumo a um sonhado objetivo. A receita caseira está superada no futebol cada vez mais empresarial. A responsabilidade no vestiário e campo precisa de um profissional reconhecidamente competente, experiente e vencedor. Fim da estrada para o idealismo e amadorismo.

 

GRANDE PERIGO

Nunca a intolerância se fez tão presente no nosso futebol e na política brasileira. Movido pela paixão, discussões não estão mais respeitando limites e discordâncias acabam se transformando em ódio. As redes sociais viraram um trampolim onde muitos se julgam no direito de se posicionar independentemente do grau de cultura e educação. Existem leis para disciplinar, mas as mesmas ainda são desconhecidas ou ignoradas, talvez até mesmo por pura ignorância. Então, sobra inveja, maldade e rancor.

 

CONTROVERSO DEMAIS

Quando ninguém sabe, mas o XV de Piracicaba um dia deve através do seu Conselho Deliberativo discutir a Sociedade Anônima no Futebol. A princípio, os quinzistas enxergam o tema por demais confuso. O estatuto seria bastante alterado.

 

JEITO DE SER

Pessoas próximas do Luciano Almeida, que o conhecem bem, dizem que ele é assim mesmo: tem suas ideias, dificilmente muda, e estando em paz com sua consciência, não dá a mínima para críticas, desde que não maldosas ou encomendadas. Garantem que os resultados da sua administração aparecerão a partir do próximo segundo semestre e principalmente em 2023.

 

VALE A PENA

Paixão de Cristo, linda encenação de responsabilidade da Associação Cultural e Teatral Guarantã, mais uma vez está em cartaz (até domingo, dia 17), no Engenho Central. Momentos de emoção e Fé. Imperdível.

 

ESPERANDO QUALIDADE

Piracicaba está sem a Zona Azul (ou parquímetro) nos corredores comerciais. Aguarda-se pelo novo processo licitatório. Quando vier, que seja bom. Chega da rotina irritante atrás dos aparelhos por causa dos avariados.

 

FOI ASSIM

Jorge Manoel, presidente da Portuguesa de Desportos, chamou Toninho Cecílio (já trabalhou no XV) e disse: “Vou cuidar do clube e você do futebol. Monte sua equipe e busque um técnico experiente. Garanto salários em dia e que nada vai faltar. Só vou cobrar você e você cobra todos”. Definida a Comissão Técnica, inclusive o técnico, Cecílio e Sérgio Soares montaram uma lista com 50 (cinquenta nomes) para selecionar os preferidos. Com um público de treze mil pessoas no jogo decisivo no Canindé, depois de sete anos, a lusa comemorou sua volta a elite do futebol paulista. Deu certo do começo ao fim. Sem susto.

 

SOBRA DIFICULDADE

Incrível como o piracicabano sofre com a internet. Seria exclusividade de uma determinada operadora? Vamos lembrar que estamos com o 5G está batendo na porta. E, quando aparece o técnico é bom torcer e rezar para que um problema não vire dois ou mais.

 

FOCO

Edson Rontani Junior. Pense em alguém educado, inteligente e capaz. Filho do inesquecível Edson Rontani que imortalizou o Nhô Quim, conhecemos o Edson Rontani Juinior começando sua carreira de jornalista na antiga rádio Alvorada. Mas, o seu destino não foi microfone e nem redação, embora goste de escrever, mas sim a conceituada Uniodonto, e de lá não nunca saiu, pois, o competente presidente dr. Cláudio Zambello jamais aceitou abrir mão do seu passe. Muitos desafios e feitos ao longo dos tempos. Agora, Edson Rontani Junior também assume a presidência do Instituto Histórico e Geográfico de Piracicaba (IHGP), e eleito por aclamação, lá fica até 2024. Ao seu lado, ótimos nomes para uma diretoria de fazer inveja, com Valdiza Maria Capranico, Sylvana Zein, Waldemar Romano, Noedi Monteiro, Armando Alexandre dos Santos, Leandro Antonio Pavan, João Umberto Nassif entre outros. Certeza de um trabalho marcado pela eficiência. Boa sorte ao Edson, um grande e leal amigo.

 

ÚLTIMA

Nos bons tempos de repórter da rádio Difusora, colecionamos inúmeros e memoráveis momentos. Dá para escrever um bom livro. Quando chega a sexta-feira Santa, lembramos do ex-prefeito José Machado. As grandes redes de supermercados estavam chegando em Piracicaba, e não se conseguia o consenso sobre abrir ou não as lojas na importante data religiosa. Naquela época, final dos anos 80, ainda existia o tabu sobre o trabalho nessa data. Sem acordo, o debate foi parar no décimo andar do Centro Cívico (Prefeitura Municipal), para o prefeito mediar um entendimento. Com todos na sala, entrou José Machado que cumprimentou os presentes e abriu a reunião: “Boa noite a todos. Os senhores têm mais de 360 dias para ganhar dinheiro, e dizem não ser possível dedicar um dia só, apenas 24 horas? Impossível respeitar uma data consagrada? Vale a pena desafiar, colocar o dinheiro na frente da Fé? Afinal, não é a justamente a Deus que pedimos diariamente paz na vida e saúde para trabalhar?” Ali terminou uma rápida reunião com desfecho surpreendente. Decisão unânime: fecha tudo. Foi possível ver no semblante de cada um certo alívio com o fim de uma polêmica resolvida com facilidade e graças ao bom senso. Outros tempos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima