Caldeirão Político

WAGNÃO — I
O vereador Wagner Alexandre de Oliveira, o Wagnão (Cidadania), na manhã de ontem, 11, percorreu a região do bairro Anhumas, para verificar a precariedade do acostamento ao longo da rodovia Luiz Dias Gonzaga, estrada da Capela, em trechos que requer os trabalhos da Sema (secretaria municipal de Agricultura e Abastecimento). “É um descaso da Sema, ao deixar ao léu este acostamento”, disse ele, que, nas últimas semanas tem elevado o tom das críticas à titular da Pasta, Nancy Thame (PV).

 

WAGNÃO — II
Para dar provas de que, apesar das críticas à Sema, ainda é da base do governo, Wagnão agradeceu o secretário de Obras, Paulo Ferreira, pelo trabalho na região de Anhumas. Ele verificou manutenção de estrada para beneficiar os moradores. A impressão é que o vereador vai na linha do colega Laércio Trevisan Jr. (PL) e quer que a Sema vire diretoria da Semob. É isso ou apenas impressão deste Capiau, idoso e cansado?

 

REPERCUSSÃO
Suspensa por força de medida cautelar no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, há quem diga que a greve dos servidores públicos municipais “irá inovar a forma de se fazer greve no País”, já que a decisão do TJ-SP deve chegar ao STF (Supremo Tribunal Federal). “Essa decisão de 70%/30% é tão teratológica (leia-se: “monstruosa”) que está sendo mencionada nos quatro cantos do País”, avalia José Osmir Bertazzoni.

 

EDSON — I
Um passarinho indica, em sobrevoo por Piracicaba, que o ex-prefeito Edson Moura, de Paulínia, tradicionalmente do MDB, trabalha em torno do PSD de Gilberto Kassab, sem deixar as raízes com o ex-presidente Michel Temer (MDB). Sabe-se que Moura foi inventor do Pipe Protector, proteção dos escapamentos das motocicletas por causa das altas temperaturas. Ele patenteou o acessório no INPI e o fabricou por 12 anos.

 

EDSON — II
Como bom inventor, além de dono do Ibrafem, localizado no município de Rio das Pedras na divisa com Piracicaba, Edson Moura certamente tem ideia de alguma alteração em boa parte das questões políticas locais. E Moura — que foi prefeito três vezes de Paulínia — até imaginando um grande empreendimento, num estilo de Beto Carreira Word, mais ou menos… Quanto ao empreendimento, normal; mas deve ser uma bomba política. Em política, tudo acontece. E até nada acontece. O Capiau, idoso e cansado, não conseguiu mais detalhes.

 

DÚVIDA
A vinda do governador do Estado de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), lançou uma dúvida no ar e que chegou até a coluna. Os deputados estaduais Alex de Madureira (PL) e Roberto Morais (Cidadania), além do presidente da Câmara, Gilmar Rotta (PP), estiveram o tempo todo ao lado de Garcia. Aí, vem a dúvida: eles chegaram a falar ao chefe do Executivo estadual sobre a situação dos servidores públicos? Dúvidas são normais neste meio. É questão municipal!

 

PALESTRA — I
Os cerimonialistas do Palácio dos Bandeirantes, do Centro de Comunicação Social da Prefeitura de Piracicaba e do APLA (Arranjo Produtivo Local do Álcool) trabalharam em conjunto na sexta (8), com o intuito de garantir a presença de um público razoável durante a palestra do governador Rodrigo Garcia no auditório do Parque Tecnológico.

 

PALESTRA — II
O trabalho de bastidores surtiu efeito e a palestra do governador contou com a participa-ção de pelos menos 180 pessoas, conforme os organizadores. Segundo uma das integran-tes do cerimonial do Governo do Estado, um número excelente para uma palestra agen-dada sexta-feira às 17h45.

 

BEM X MAL — I
Quando usou o microfone do carro de som, durante a paralisação dos servidores munici-pais na semana passada, o vereador Paulo Campos (Podemos) abusou do maniqueísmo, quando disse que se tratava de uma luta do bem contra o mal. Por que?

 

BEM X MAL — II
Mas o vereador não conta para ninguém que, quando lhe foi conveniente, durante as últimas eleições, levou o então candidato Luciano Almeida (União Brasil) para um culto na sua casa, quando convidou amigos e familiares para fazer campanha para o então candidato pelos Democratas. Quem é do bem? Quem é do mal? O que é a política?

 

QUEM ÉS? — I
Durante a audiência de conciliação on-line na sexta (8), o procurador geral do município, Guilherme de Mônaco de Mello, com a educação que lhe é peculiar, diante da irredutibi-lidade do Sindicato, perguntou a José Osmir Bertazzoni, se naquele momento ele estava participando como o sindicalista ou como o advogado da parte contrária.

 

QUEM ÉS — II
O questionamento se fez necessário, diante da posição de Bertazzoni que, mesmo repre-sentando toda uma categoria, não quis dar prosseguimento ao diálogo no momento opor-tuno. Quem imagina que pode ser estratégia do sindicalista José Osmir Bertazzoni, que é também advogado. Muita coisa vem pela frente, anotem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima