Votos decisivos contra os professores e a população

Nelinho Noronha

 

Pela primeira vez na sua história, três deputados estaduais têm domicílio eleitoral em Piracicaba: Professora Bebel (PT), Roberto Morais (Cidadania) e Alex Madureira (PL). No entanto, o que deveria se constituir em fortalecimento das ações em prol da cidade e toda região, infelizmente, tem se transformado, ao longo destes poucos de mais de três anos, em problemas para o segmento dos servidores estaduais e, especialmente, para os professores.
Como acompanho de perto o trabalho na Assembleia Legislativa de São Paulo, posso falar com propriedade e a certeza de que enquanto a deputada Professora Bebel, que é minha irmã, faz a luta diária em defesa do fortalecimento do serviço público, para melhor servir à população que mais precisa, infelizmente, tanto Roberto Morais como Alex Madureira têm sido votos decisivos naquela Casa contra os servidores e os serviços públicos, prejudicando quem tem dedicado a vida em prol do serviço público e para servir , e bem, a população, seja na educação, na saúde, na segurança, enfim, aonde o Estado é o responsável por garantir atendimentos e serviços.
Neste atual mandato na Assembleia Legislativa de São Paulo, diferente da deputada Professora Bebel (PT), que sempre se posicionou e votou contra os projetos do governo, Roberto Morais (Cidadania) e Alex Madureira (PL) votaram favoráveis ao confisco dos aposentados, isso mesmo, votaram para que o governo pudesse ter direito de passar a cobrar contribuições de aposentados e pensionistas estaduais, na prática, reduzindo o valor da aposentadoria e pensões que, certamente, vêm fazendo muita falta para esses cidadãos.
Roberto Morais e Alex Madureira também votaram ainda pela reforma previdenciária no Estado, pela reforma administrativa estadual, que entre outras coisas, acabam com as faltas abonadas. No entanto, apesar de o servidor trabalhar oito meses no ano com 31 dias e só receber por 30 dias trabalhados, os dois parlamentares foram decisivos nesta votação. Esse mesmo PLC 26 institui a avaliação de desempenho e facilita demissões de servidores.
Faço questão de registar ainda que os deputados Roberto Morais e Alex Madureira, apesar dos apelos feitos pela deputada Professora Bebel (PT), votaram favoráveis ao PL 529, que permitiu ao governo estadual privatizar diversas instituições estaduais e órgãos, além de aumentar a mensalidade do IAMSPE, fazendo com os servidores passassem a contribuir um pouco mais com o Instituto, que, infelizmente, continua devendo na prestação do bons serviços aos servidores estaduais e seus dependentes em toda região.
Os dois também votaram ainda na limitação do pagamento de precatórios de pequeno valor, de R$ 33 mil para R$ 11 mil, prejudicando milhares de servidores e cidadãos comuns que têm dividas a receber do Estado.
Já no final do mês passado, Roberto Morais e Alex Madureira votaram favoráveis e foram votos decisivos na apreciação do PLC 03, do governo estadual, que estabelece a chamada nova carreira para os professores, que, na prática, acaba com a carreira do magistério estadual. Esse projeto foi aprovado com 48 votos, portanto, apenas um a mais do necessário. Faço questão de registrar a diferença dos deputados e a forma como eles têm votado ao longo deste mandato na Assembleia Legislativa de São Paulo para que a população tenha ideia do estrago que o voto destes dois deputados tem provocado na vida dos servidores e também da população que depende do serviço público de qualidade.
____
Nelinho Noronha (PT), vereador de Águas de São Pedro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima