O assédio sexual aos servidores do Cristo

Alvaro Vargas

 

Uma reencarnação na Terra é repleta de perigos, particularmente por sermos ainda almas em evolução e trazermos as marcas das iniquidades pretéritas. Não estamos isentos de cometer novos deslizes morais e fomos orientados por Jesus, sobre a necessidade de orar e vigiar (Mateus, 41:26). Analisando a fragilidade humana, o Mestre nazareno em sua parábola (Lucas 6:46-49), comparou uma casa construída sobre a rocha e resistente as tempestades, aos que ouvem e põe em prática os seus ensinamentos, sendo por isso, capazes de superar os vícios e as tentações. O contrário ocorre com a casa edificada sobre a areia, que pode ser destruída facilmente durante as intempéries, representando os que ouvem, mas por não vivenciarem os postulados cristãos, sucumbem às paixões humanas. Dentre as nossas limitações, destacam-se os apelos da sensualidade. A história de nossa civilização é repleta de casos de indivíduos, supostamente bem-preparados, que fracassaram fragorosamente devido ao descontrole de sua sexualidade. Felizmente, muitos adeptos do cristianismo conseguiram disciplinar a força sexual da alma, servindo como exemplo de conduta para todos nós.
Após o martírio do Calvário, o apostolo Pedro e alguns seguidores fundaram a “Casa do Caminho”, em Jerusalém, atendendo aos enfermos físicos e morais, esclarecendo-os sobre a Boa-nova de Jesus. Viúvo, Pedro era incansável, ministrando os necessários medicamentos e remédios aos necessitados e famintos. Entretanto, conforme o espírito Amélia Rodrigues (Pelos Caminhos de Jesus, cap. 10, Divaldo Franco), ele não escapou de ser assediado sexualmente. Uma mulher leviana, vendedora de ilusões, fascinou-se pela figura do apóstolo e, subjugada por um espírito obsessor, tentou se despir para seduzi-lo, constrangendo-o. Pedro, fraternalmente, procurou dissuadi-la, explicando que o seu amor pelas pessoas era apenas de espírito, orientando-a: volte aqui quantas vezes queiras e possas. Todavia, não se esqueças, de que neste local, Jesus habita e age, trabalha e repousa, convidando-nos a todos para o banquete da redenção e nos espera. Por agora, vai-te em paz e deixa-me na paz que encontraste, ao chegar aqui. Após esse episódio, o diálogo que surgiu entre Pedro e o espírito de Jesus, que se mostrou visível ao apóstolo, é extremamente significativo e serve de alerta para todos os servidores do Cristo. Disse o Mestre: Pedro, a chama que coze o pão atrai a mariposa que, descuidada, nele se consome. O discípulo de meu Evangelho é um ponto vivo de referência onde se encontre, atraindo as atenções e sendo vítima das circunstâncias, em constante perigo, nunca, porém, em abandono e esquecido do meu amor. Cada alma vê no próximo, aquilo que tem no seu interior, e cada coração recebe a Mensagem de acordo com a própria necessidade. Permanece fiel, e não desfaleças em ocasião alguma.
Pela mídia, podemos observar que os escândalos de assédio sexual atingem indistintamente os representantes de todas as agremiações religiosas. A influência dos espíritos trevosos contra os servidores de Jesus sempre ocorreu, independentemente da fé que professam. Recentemente, o médium Divaldo Franco (Sexo e Consciência, cap. 6, Luiz F. Franco), descreveu vários casos de assédio sexual que ele sofreu, envolvendo mulheres obsediadas. Comentou também sobre um diálogo que manteve com o saudoso médium e palestrante espírita, Jerônimo Mendonça, tetraplégico, em que, mesmo imobilizado no leito, ele foi admoestado por jovens atormentadas do sexo, que lhe diziam ao ouvido palavras chulas, recheadas de insinuações eróticas, com a finalidade de despertar-lhe pensamentos sensuais. Assim como esses dois médiuns, todos desenvolvemos um certo magnetismo, que pode perturbar as pessoas invigilantes. Por isso, os divulgadores da Boa-nova, que se expõe publicamente, devem cultivar o equilíbrio emocional e refutar qualquer aproximação menos digna. Como o apóstolo Pedro, nos resguardemos na oração e nos fortaleçamos na vivência dos ensinamentos do Cristo.
______
Alvaro Vargas, engenheiro agrônomo, Ph.D., presidente da USE-Piracicaba, palestrante e radialista espírita

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima