Greve dos servidores de Piracicaba

José Osmir Bertazzoni

 

Hoje vamos iniciar com um artigo mais curto e direto, como forma de esclarecimento e satisfação que todos nós servidores temos ao povo piracicabano. Por que estamos declarando greve dos servidores no serviço público Municipal de Piracicaba?
Os servidores públicos, que enfrentaram e perderam companheiros para a Covid-19, foram tratados pelos governos como cidadãos de segunda ou terceira classe, isso estabeleceu um grau de revolta no período de negociação em que solicitam, através de assembleia geral, reposição inflacionária do período de março de 2019 a março de 2022.
Não se trata de aumento de salários, apenas repor a inflação que consumiu seus salários por esses longos anos, mesmo sendo os servidores a única linha de frente no combate à mortal pandemia.
Não estamos radicalizando ou encerrando negociações com a administração, não desrespeitamos a administração e não somos políticos carreiristas, somos apenas servidores públicos, e quem encerrou as negociações formalmente foi o Digníssimo Prefeito.
Foram realizadas quatro assembleias, com uma média de 3000 servidores presentes, e a decisão foi coletiva sem quaisquer direcionamentos. Os servidores são pessoas esclarecidas cujo comportamento somente retrata seu descontentamento com a forma como estão sendo tratados.
O governo municipal já tentou a terceirização das atividades através da Organização Social e deu com os burros n’água, pois administrar uma prefeitura é completamente diferente da iniciativa privada. O setor público tem sangue e coração, é um organismo vivo que tem como sua principal função o acervo mental de toda a cidade e suas necessidades e equipamentos.
Nós preferíamos negociar a fazer greve, mas isso já foi superado pelo prefeito e não podemos fazer mais nada a não ser contar com sua reflexão sobre o ônus desse desafio.
Para nossa população pedimos cautela e apoio para que a cidade não sofra ainda mais com os descasos do poder público, estamos vivendo momentos conturbados no país cuja insegurança jurídica pode ser fatal às próximas gerações.
A greve não é uma ação política, e, sim, o estado mais grave do descontentamento dos trabalhadores, nós servidores também somos trabalhadores e lutamos por melhores condições de vida à nossa população, buscando serviços públicos de qualidade que possam atender a todos os anseios da sociedade.
Quem tiver contato com um vereador ou com os secretários e o próprio prefeito digam que a greve é responsabilidade de quem encerra negociação, e nós servidores municipais, assim como nosso sindicato, estamos aberto a negociar para evitar esse desgaste desnecessário contra nosso povo.
Se você não viu com os próprios olhos, nem ouviu com seus próprios ouvidos, não deixe sua mente inventar coisas para a sua boca espalhar. Plantar é opcional, colher é obrigatório. A sua vida depende das suas escolhas!
Invocamos a verdade como melhor forma de viver com qualidade em um mundo onde o que importa é o poder e as riquezas, somos humildes, simples, trabalhadores e não temos poder algum, somos mão de obra para atender o povo e a esse povo devemos satisfação.
_____
José Osmir Bertazzoni, jornalista, advogado; e-mail: [email protected]

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima