A indústria automotiva da metrópole de Piracicaba

Barjas Negri

 

Nos últimos 25 anos nenhuma indústria automotiva se instalou na Região Metropolitana de São Paulo. Acompanho o processo de desconcentração industrial paulista a partir de 1970, vastamente analisada em minha tese de doutorado “Concentração e Desconcentração Industrial em São Paulo (1.880-1990)”, publicada pela Editora Unicamp.
Algumas montadoras se instalaram no Interior paulista, mais precisamente nas novas regiões metropolitanas como Campinas, São José dos Campos, Sorocaba e Piracicaba. O Interior foi se modernizando e ganhou destaque na economia do Estado, beneficiado pelos avanços tecnológicos, o que também garantiu a geração de milhares de empregos e a ampliação das receitas municipais.
Piracicaba, que já possuiu uma indústria modernizada e diversificada desde os anos 1970, recebeu uma unidade da Caterpillar, fabricante de máquinas como retroescavadeiras, pá-carregadeiras e escavadeiras, motoniveladoras entre outras. Ela sempre contou com o apoio de diversas empresas de pequeno e médio portes de Piracicaba e dos municípios do seu entorno para o fornecimento de peças e acessórios.
Entre 2008 e 2012, Piracicaba, por meio da Prefeitura, Câmara de Vereadores, sindicatos de trabalhadores e patronal, em conjunto com o governo estadual fez uma ampla articulação para implantar o seu Parque Automotivo, garantindo a vinda da montadora coreana Hyundai e mais 10 empresas fornecedoras de peças e acessórios.
A planta da Hyundai tem capacidade de produção de 200 mil veículos/ano. Atualmente, a montadora está implantando sua fábrica de motores, substituindo importações da matriz na Coréia do Sul, devendo concluí-la e iniciar sua produção neste primeiro semestre. Nos municípios do entorno de Piracicaba, como Rio das Pedras, Charqueada, Capivari, Tatuí também se instalaram diversas empresas que fornecem peças e acessórios à Hyundai.
Neste período de 10 anos de funcionamento da Hyundai foram criados milhares de empregos, principalmente para os jovens, como aumento de renda e também de arrecadação de impostos municipais necessários ao financiamento de políticas públicas.
Na esteira do Parque Automotivo de Piracicaba, Iracemápolis recebeu a nova fábrica da Mercedes Benz, com capacidade de produzir 20 mil veículos/ano. Devido às transformações globais da indústria automotiva, essa unidade foi desativada recentemente e, em seguida, foi adquirida pela montadora chinesa Great Wall Motors, que vai priorizar a produção de carros híbridos e elétricos, investindo inicialmente R$ 4 bilhões e vai retomar a contratação de novos trabalhadores.
Por fim, a nossa região metropolitana, com suas duas montadoras, tem papel importante na produção automobilística nacional, onde apenas a Hyundai produziu em 10 anos, 1,6 milhão de veículos – HB20 e o Creta. Em 2021, a sua produção representou 11% das vendas de veículos no Brasil. Esse e um marco a ser comemorado.
___
Barjas Negri, ex-prefeito de Piracicaba

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima