Notícias +

PRIMEIRA

Parte central de Piracicaba, centro comercial, continua sem policiamento. Se algo anormal, naquela área acontecer, vitima (ou vítimas) estarão entregues a própria sorte. Policiais poderiam nessa época de pandemia, também ajudar na fiscalização pela obrigatoriedade do uso da máscara, contribuindo para a queda de casos que tanto preocupam.

 

TEMPLO DETERIORADO
O plano atual sempre foi terminar as obras de reforma da Matriz da Catedral de Santo Antonio, para começar o da Igreja São Benedito. Infelizmente a pandemia não deixa os trabalhos avançarem. A verdade é que a igreja da rua do Rosário está bastante castigada e, o errado foi deixar chegar nessa situação. É correto considerar que a culpa não é do Monsenhor Ronaldo Francisco Aguarelli e sim dos que o antecederam.

 

PRIORIDADE DUPLA
Para muitos, o XV deveria priorizar a Copa Paulista para ter acesso ao Campeonato Brasileiro. Mas, a diretoria quinzista dá preferência ao Campeonato Paulista (Série A-2), sonhando com a elite e também preocupada com o rebaixamento que não existe na Copa Paulista. Sem calendário nacional, o alvinegro não consegue contratar bons jogadores, fazer bons negócios por falta de visibilidade, principalmente na televisão.

 

DIFÍCIL ENTENDER
Tornou-se comum um mesmo imóvel colocado a venda ou para locação, ser anunciado por mais de uma imobiliária. Nada contra, pois deve haver acordo, controle e regras. Porém, estranho, são os diferentes valores divulgados pelas imobiliárias.

 

MESTRES VACINADOS
É necessário (e até indispensável), que todos os professores (as), principalmente do ensino fundamental, serem vacinados (as) contra a Covid-19. Absurdo crianças fora das salas de aulas durante tanto tempo. O impacto para o futuro desses alunos é altamente grave em vários sentidos. Fechar escolas é um abuso e a conta ficará, como sempre, para os pais e responsáveis.

 

COMPRA DIFICULTADA
As reais razões são desconhecias, pois já acontecia antes da pandemia. Você encontra determinado produto no supermercado, leva para casa, gosta, mas a partir do momento que acabou na área de venda, a demora é grande para reposição. Todo supermercado tem determinado item que falta na prateleira. O consumidor leva quantidade para estocar (o que não é recomendável) ou vai a um outro estabelecimento.

 

90 ANOS
Uma data importante que pode ter passado despercebida por muitos: segunda-feira última (31), completou-se 90 anos que Vaticano proclamou Nossa Senhora Aparecida a Padroeira do Brasil. O pedido foi feito pela Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, em 1927, respondido pelo Papa Pio XI em 1928, mas que assinou o decreto em 16 julho de 1930. Porém, só em 31 de maio de 1931, numa solenidade histórica, reunindo um (1) milhão de pessoas, Nossa Senhora Aparecida foi oficialmente aclamada pelo povo, a Padroeira do Brasil. Foi o arcebispo Don Sebastião Leme da Silveira Cintra, o dono da feliz e maravilhosa iniciativa, que leu a mensagem do Papa Pio XI, na presença das mais altas autoridades do país, entre elas, o Presidente da República Getúlio Vargas.

 

POLÍTICA ERRADA
É possível até existir razões ou explicações, contudo, as frequentes mudanças nos comandos das Policiais Militares no estado, principalmente nos municípios do interior, não é uma atitude conveniente. O policial é nomeado, chega a cidade, é recebido pelas autoridades locais, faz seu planejamento, porém, quando está conseguindo entender os dramas locais, ele é substituído. Em Piracicaba sempre acontece a mudança de comando. Sem lógica.

 

SEM ESQUECER
Mais do que nunca Barjas Negri está presente na rotina dos piracicabanos. Com sua estratégia usando as redes sociais, o ex-prefeito se mantém interagindo. Certo ele. Sinal que tem panos futuros.

 

BURACO ABANDONADO
Quando de muitos buracos nas ruas e avenidas de um bairro qualquer, lá aparece equipe da Prefeitura Municipal e faz o serviço de reparo. Correto. É preciso entretanto, providência urgente quando de um buraco (isso mesmo, apenas um), no entanto numa rua de grande tráfego, tipo via principal. Não dá para esperar. O ideal é uma viatura rodar pela cidade e localizar esses buracos que causam prejuízos ao veículo, podendo inclusive provocar acidente.

 

ACIDENTE POSSÍVEL
Dias atrás tivemos um acidente na rua Governador, área central. Não é difícil se repetir. Com grande movimento de pessoas e veículos, acontece a disputa pela passagem. Na verdade, não existe sinal para o pedestre e esse é o detalhe perigoso. Exemplo: na rua XV, fecha o sinal para o veículo que irá cruzar a Governador, então, o pedestre se movimenta, mas o veículo na Governador também. Sempre tem gente correndo.

 

UM TÉCNICO
O XV precisava ter um mesmo técnico para poder implantar um planejamento. Caberia ao profissional contratado, montar uma base na Copa Paulista e depois buscar reforços visando o Campeonato Paulista no ano seguinte. O problema é a receita. Porém, valeria a pena economizar com jogadores e pagar bem o principal personagem do projeto, levando em consideração que a Copa Paulista não é prioridade.

 

FOCO

A recente visita do prefeito municipal Luciano Almeida, a ArcelorMittal, serviu para fortalecer amizades e parcerias. Na oportunidade, Luís Augusto de Arruda Penteado, diretor da ArcelorMittal Piracicaba (SP) e Sitrel (MSD), opinou sobre o acontecimento: “Para nós, da ArcelorMittal, o diálogo com as partes interessadas e a atuação integrada do Poder Público com a Organização Privada, são fundamentais para contribuir com o desenvolvimento social e econômico do nosso município. A partir dessa relação, é possível construir propostas e ações conjuntas para o atendimento de demandas reais da cidade de Piracicaba”. Certíssimo Luís Augusto, dirigente competente, que garante a ArcelorMittal, passos certos e seguros.

 

ÚLTIMA

Romeu Italo Ripoli, quando presidente do XV de Piracicaba, jamais admitia contratar alguém sem que tivesse o aval dos seus assessores. Dizia ele: “É evidente que, quem quer vender, sempre vai dizer que o jogador é bom. Precisamos ter a certeza”. E, não se contentava com apenas uma observação. Roberto Adamoli ou Moacir Bombo, (sem ninguém saber) iam aos estádios para a avaliação. Um por vez, pois dizia que o jogador poderia estar bem num dia e não no outro não. A palavra final ficava para Gaspar Berrance Filho e Dema. No dia de fechar o acordo, Henrique Pavanelli era o escalado que viajava para também ver o escolhido antes do pagamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima