Dengue: casos registram queda de 66% em Piracicaba

 

Várias ações foram intensificadas no município – Crédito: Divulgação/CCS

Piracicaba registrou 402 casos de dengue nesse ano, uma redução de 66,38% em relação ao mesmo período do ano passado (equivalente a 14 semanas), quando 1.196 pessoas foram infectadas, sem nenhum óbito, de acordo com os dados da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde. Em todo o ano passado, o município registrou 4.144 casos da doença com três óbitos.
Entre os fatores que têm contribuído para redução dos casos, estão as ações constantes e, intensificadas desde o ano passado, realizadas pela Prefeitura Municipal, por meio do PMCA (Programa Municipal de Combate ao Aedes), ligado ao CCZ (Centro de Controle de Zoonoses), como arrastões, mutirões, visitas em domicílios com horário estendido, entrada forçada em imóveis fechados para retirada de criadouros e campanhas de conscientização. Vale ressaltar que mesmo nesse período de pandemia por conta do coronavírus, o trabalho segue sendo realizado normalmente.

O coordenador do PMCA, Sebastião Amaral Campos, o Tom, explica que o trabalho de orientação e combate se dá também em sintonia com a VE (Vigilância Epidemiológica). “Sempre que temos notificações ou confirmações de casos de dengue, atuamos preventivamente para evitar novos casos”, explica.
No período de 1º a 25 de março foram 9.251 imóveis trabalhados pelos agentes em oito bairros do município (Cecap, Monte Líbano, Piracicamirim, Pompéia, São Francisco, Vila Cristina, Vila Independência e Vila Monteiro). Desse total, em 5.809 os imóveis estavam fechados, desocupados ou seus proprietários não permitiram a entrada dos agentes (recusa). “Porém, com essa nova ação, no período entre 17h e 19h nossas equipes conseguiram recuperar essas pendências com mais sucesso. Porém, ainda nota-se um número alto de recusa às visitas e de casas desocupadas (para locação ou venda)”, informou Tom.
No bairro São Francisco, por exemplo, houve uma redução nas pendências de quase 10% – foram 493 imóveis não visitados num primeiro momento, mas com o retorno dos agentes em horário estendido, 108 imóveis foram visitados. No Piracicamirim houve uma redução de 6% e na Vila Cristina de 5%. “Acreditamos que, com o novo horário de visita, mais o poder de fiscalização, informação na mídia local e carro de som, estes índices de pendência reduzirão em todo o município”, afirmou Tom.

O secretário municipal de Saúde, Pedro Mello, destaca que as ações de combate a dengue são realizadas constantemente pela Prefeitura e a população precisa ter consciência do perigo de contrair as doenças transmitidas pelo mosquito. “Portanto, a população deve colaborar com os agentes de saúde durante a ação permitindo o acesso dos mesmos nas residências. Precisamos de apoio de todos”, diz.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima