Saúde: Prefeitura inicia desinfecção diária em locais de grande fluxo

A Prefeitura de Piracicaba iniciou, ontem (1º), uma ação intensificada de desinfecção de unidades de saúde, dos seis terminais de ônibus do município, paradas de ônibus, do Mercado Municipal, das praças mais movimentadas e do entorno de hospitais. Durante a pandemia do Covid-19, esses locais (que têm grande fluxo de pessoas) serão higienizados com água e cloro ativo, em serviços que envolverão a utilização de caminhões-pipa, tratores com pulverizadores e funcionários com bombas costais de pulverização.
Nessa quarta-feira, os trabalhos de desinfecção foram realizados nos arredores do HFC (Hospital dos Fornecedores de Cana), da Santa Casa de Piracicaba, do Hospital Unimed, da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Vila Cristina e da UPA Piracicamirim, segundo Odair Mello, diretor da Defesa Civil. “Esse serviço de desinfecção em áreas externas será realizado diariamente, de maneira escalonada conforme uma programação”, explica.
A ação é articulada entre cinco pastas – Secretaria Municipal de Saúde, Sedema (Secretaria de Defesa do Meio Ambiente), Sema (Secretaria de Agricultura e Abastecimento), Semob (Secretaria de Obras) e Semuttran (Secretaria de Trânsito e Transportes) – e o Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto), em trabalho coordenado pela Defesa Civil de Piracicaba.
Além dos arredores dos postos de saúde da cidade – como o CEM (Centro de Especialidades Médicas), o Postão, o CEO (Centro de Especialidades Odontológicas), as UPAs) a COT (Central de Ortopedia e Traumatologia), a Policlínica de Santa Teresinha -, também farão parte do circuito de desinfecção o Poupatempo Municipal e os seis terminais de ônibus: TCI, Piracicamirim, São Jorge, Vila Sônia, Cecap/Eldorado e Pauliceia.
O itinerário também inclui locais como a praça Takaki, a praça do Terminal Central de Integração (TCI) e a praça José Bonifácio – que foi o primeiro espaço público a passar por esse procedimento com cloro, na manhã de domingo (29). Outros locais poderão ser incluídos na programação.
Regularmente, a Sedema já realiza a limpeza diária da praça José Bonifácio, dos 26 varejões municipais (uma vez por semana) e dos terminais de ônibus (uma vez por mês), ressalta José Otávio Menten, secretário municipal de Defesa do Meio Ambiente. “Só que agora, esse trabalho que normalmente já é feito na cidade será reforçado, com a diluição do cloro na água, já que é um produto que tem boa ação contra o vírus. Essa força-tarefa vai reduzir a possibilidade dos cidadãos piracicabanos se contaminarem com o vírus depositado em superfícies como, por exemplo, pisos, maçanetas e corrimões”, declara.
Além do caminhão-pipa da Sedema, a Cooperativa dos Plantadores de Cana do Estado de São Paulo (Coplacana) também disponibilizou um trator agrícola, com tanque devidamente higienizado, para ajudar no trabalho de desinfecção dessas áreas prioritárias.
REGRAS DA DESINFECÇÃO 

A ação realizada em Piracicaba obedece as recomendações da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) em relação à desinfecção de locais públicos durante a pandemia do Covid-19, descritas na Nota Técnica Nº 22/2020. O documento da Anvisa define a desinfecção (diferenciando-a da limpeza) como a prática sanitária que envolve “uso de produtos químicos para matar germes em superfícies. Esse processo não limpa necessariamente superfícies sujas ou remove germes, mas ao matar germes em uma superfície após a limpeza, ele pode reduzir ainda mais o risco de propagação de infeções”, comunica a nota do órgão federal.

De acordo com a Anvisa, caso os municípios decidam pelas ações de desinfecção em ambientes externos, elas deverão ser concentradas, preferencialmente, em pontos da cidade com maior circulação de pessoas.

Nas ações de desinfecção em Piracicaba, a diluição do cloro na água seguiu as especificações da Associação Brasileira da Indústria de Álcalis, Cloro e Derivados (Abiclor), que determina o uso de 2 litros de cloro para cada 1.000 litros de água.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima