Centro de Triagem do Coronavírus atende mais de 40 pessoas na terça

Centro de Triagem do Coronavírus fica ao lado da UPA Piracicamirim – Crédito: Divulgação/Prefeitura

Quarenta e quatro pessoas foram atendidas, até as 16h30 dessa terça (1º), no primeiro dia de funcionamento do Centro de Triagem do Coronavírus, localizado ao lado da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Piracicamirim, à rua Rio Grande do Norte, 135. A unidade foi escolhida para ser a porta de entrada exclusiva de pacientes com problemas respiratórios durante a pandemia da Covid-19.
São 200 metros quadrados cobertos, com proteção lateral e piso adequado para o trabalho dos médicos e enfermeiras que estão na linha de frente. “O atendimento foi bem tranquilo. As pessoas relatavam os sintomas, eram orientadas e, se houvesse a necessidade, medicadas. Apenas dois pacientes foram encaminhados para dentro da UPA e liberados em seguida, com quadros estável de saúde”, explicou Carlos Eduardo Tavares, coordenador das UPAs.
Os pacientes atendidos na unidade que funciona 24 horas são divididos basicamente em três níveis: os que apresentem sintomas leves de gripe são medicados e orientados sobre cuidados de higiene individual e domiciliar; os que apresentam síndrome gripal leve são encaminhados à Atenção Básica (Crab, UBS e PSF) e acompanhados à distância, via telefone, e por fim, os que apresentam síndrome respiratória com sinais de alerta são avaliados e encaminhados para a UPA, onde são acompanhados por outra equipe, que avaliará os critérios de internação hospitalar nos hospitais de referência (Hospital Regional, Santa Casa e HFC).
De acordo com o secretário municipal de Saúde, Pedro Mello, o protocolo foi traçado em equipe, com a participação de coordenadores da Atenção Básica, do Cevisa (Centro de Vigilância em Saúde), da Urgência e Emergência e dos hospitais. “Tudo foi pensado tecnicamente para dar mais segurança à população neste momento, garantindo assim um atendimento qualificado”, disse Mello.
Ele afirmou também que o cenário nas próximas semanas poderá variar de acordo com o respeito ao isolamento sanitário definido. “As famílias devem se proteger, evitando qualquer tipo de aglomeração. O desrespeito à barreira sanitária estabelecida pelo Governo do Estado de São Paulo e pelo Governo Municipal poderá trazer consequências graves. Com a colaboração de todos, acredito que a travessia será com menores dificuldades”, enfatizou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima