Live: deputada Bebel propõe o uso de escolas para abrigar famílias

Live foi coordenada pelo professor Adelino Oliveira, pré-candidato a prefeito pelo PT – Crédito: Divulgação

Em uma live, na noite de domingo (29), coordenada pelo professor Adelino Oliveira, pré-candidato a prefeito pelo PT, a deputada estadual Professora Bebel (PT) defendeu que o Governo do Estado de São Paulo garanta ajuda aos trabalhadores de menor poder aquisitivo, assim como que sejam abertos os espaços públicos, como os prédios das escolas estaduais, para abrigar famílias da periferia durante a quarentena. Tendo como tema “Os impactos desta grave crise da pandemia do coronavírus na educação”, a transmissão pela internet foi acompanhada por centenas de internautas, e marcada pelo reforço para a necessidade de que as pessoas permaneçam em suas casas para evitar o coronavírus e a disseminação desta pandemia.
Para Bebel, o governador João Doria (PSDB) e o secretário estadual de Educação, Rossieli Soares, demoraram além da conta para determinarem o fechamento das escolas estaduais, que ocorreu na sua totalidade no dia 23 deste mês. Como presidenta da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), ela vinha pleiteando o fechamento a partir do dia 16 de março. “Foi uma semana de atraso no fechamento das escolas para evitar uma maior propagação desta pandemia no Estado. Parece pouco, mas isso teve um impacto”, disse.
Sobre a suspensão das aulas neste período de quarentena, a deputada e presidenta da Apeoesp disse que é tecnicamente impossível garantir aula à distância como propôs o governo estadual, uma vez que parte dos alunos e dos professores não dispõe de ferramenta e nem banda larga para isso. “Se tivessem dotado os alunos e os professores com as ferramentas necessárias, aí, sim, seria possível, o que não é o caso”, afirmou Bebel, que também defendeu a manutenção do pagamento dos salários dos professores da categoria O e dos eventuais nesse período de suspensão das aulas, com base na última remuneração.
Para a deputada estadual, é necessária uma articulação envolvendo Governo, empresários e a sociedade para que seja estabelecido um plano emergencial de auxílio principalmente às famílias que não têm renda, através da criação de um comitê estadual para estabelecer uma política que seja capaz de contribuir para a solução dos principais problemas ocasionados por esta crise provocada por esta pandemia. A abertura das escolas para abrigar as famílias mais carentes da periferia é justamente em função de não terem residências apropriadas para o isolamento necessário, conforme recomendação da OMS (Organização Mundial de Saúde).
O auxílio estadual, na avaliação da deputada Professora Bebel, é necessário, uma vez que tem dúvidas de quando o Senado Federal irá aprovar a ajuda garantida na semana passada Câmara Federal e quando o presidente Bolsonaro irá sancionar a propositura de R$ 600,00 a cada trabalhador autônomo, por exemplo. “O Estado de São Paulo precisa também estabelecer uma política de ajuda às pessoas que estão em casa, inclusive com a distribuição de cestas básicas e não um vale de R$ 55,00 para as famílias que têm crianças em idade escolar”, defendeu Bebel.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima