Odontologia: atendimentos em casos de urgência

Diante do aumento de casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19) no País, e tendo também em vista o registro das primeiras mortes em São Paulo de pacientes infectados com o patógeno, o Crosp (Conselho Regional de Odontologia de São Paulo) recomenda que os profissionais de saúde bucal priorizem o atendimento odontológico de urgência e emergência.
O Crosp enviou ofício ao Cosems-SP (Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo) solicitando o adiamento da realização de atendimentos eletivos nos serviços odontológicos no serviço público. No documento, o Conselho também solicita: fornecimento de todos os equipamentos de proteção individual à equipe de saúde bucal (CD, TSB e ASB); reorganização do processo de trabalho nos serviços, com a garantia da continuidade do atendimento dos casos de urgência odontológica e o adiamento de procedimentos eletivos, com produção de aerossol; maior espaçamento entre os atendimentos para garantir a adoção das medidas de biossegurança necessárias, visando a preservação da saúde dos usuários e dos profissionais; adiamento de atendimento de pacientes com sintomatologia sugestiva de Covid-19; afastamento do trabalho de profissionais com problemas de saúde.
É importante lembrar que os órgãos públicos que têm poder constitucional para definir e regulamentar o atendimento à saúde são o Ministério da Saúde e as Secretarias Estaduais de Saúde. Vale ressaltar que o Conselho vem atuando junto aos municípios para que as medidas sejam adotadas em total conformidade com o rigor da ética odontológica.
RECOMENDAÇÕES 

O Crosp segue orientando os profissionais das redes pública e privada e atuando em proximidade com os órgãos públicos que são os responsáveis pelas políticas de atendimento à saúde, solicitando que tomem as medidas necessárias para proteger a saúde da população e dos profissionais da Odontologia. A recomendação do Crosp é que os profissionais que atuam no setor privado reorganizem seus processos de atendimento e fiquem atentos às orientações técnicas de restrição parcial ou total de funcionamento, decorrentes do avanço da pandemia e de novas orientações por parte do Governo Federal e Estadual.
Ao atender os pacientes, os profissionais devem reforçar as medidas preventivas de biossegurança indicadas pelos órgãos sanitários, além de utilizar os EPIs (Equipamentos de Proteção Individual). A recomendação do Crosp é uma medida de enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente do novo coronavírus (Covid-19). A autarquia também ressalta que o profissional deve manter a calma e acompanhar as orientações do Ministério da Saúde.
ATENDIMENTOS NECESSÁRIOS 

O cirurgião-dentista deve seguir as medidas preventivas citadas para prevenir a contaminação do ambiente odontológico, bem como do profissional e do paciente: Isolamento respiratório com o uso de máscaras cirúrgicas N95 ou trocá-la a cada duas horas para evitar a perda da eficácia, no caso de máscaras habituais; Utilizar avental descartável, luvas e óculos de proteção. O uso dos EPIs deve ser priorizado; Lavar frequentemente as mãos, principalmente antes e depois de atender o paciente; Após cada atendimento, realizar a desinfecção de todos os ambientes de trabalho, pois o vírus pode ser transportado pelos aerossóis e sobreviver nessas superfícies por mais de nove dias; Cuidados redobrados com o manuseio de modelos e moldes para efetiva desinfecção; Evitar cumprimentos como beijos ou aperto de mão; Seguir rigorosamente todos os procedimentos do manuseio para limpeza e esterilização dos instrumentais para evitar que o vírus seja propagado.
O Crosp também divulgou a todos os inscritos um boletim informativo com orientações para prevenção ao Covid-19. Confira o conteúdo completo: http://www.crosp.org.br/uploads/publicacoes/1b04ced6d0d25f44e625ab7f4818946b.html

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima