Aulas: Bebel diz que suspensão é questão de “bom senso”

Bebel foi à Prefeitura acompanhada de professores e pais de alunos para reforçar o pedido da suspensão das aulas – Crédito: Divulgação

A presidenta da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo), a deputada estadual Professora Bebel (PT) diz que o anúncio feito pelo prefeito Barjas Negri, no meio da tarde de sexta (20), através de decreto municipal, de suspensão das aulas nas escolas municipais “é questão de bom senso” e uma reivindicação da entidade e da categoria. No início da semana, a Professora Bebel teve ofício dirigido ao prefeito, protocolado por diretores da Subsede em Piracicaba da Apeoesp, pedindo a suspensão imediatamente das aulas, mas Barjas Negri vinha se mantendo irredutível, o que a levou novamente nesta sexta-feira ao prédio do Centro Cívico, com uma lista de assinaturas de professores nas mãos e acompanhada de um grupo de professores e pais de alunos da rede municipal de ensino, para protocolar um novo ofício solicitando novamente a suspensão das aulas nas escolas municipais.
Para a presidenta da Apeoesp, apesar de a ação do prefeito ser lenta e ter demorado além do que se esperava “prevaleceu o bom senso”, uma vez que “a pandemia do coronavírus é geral”, disse, ressaltando que não entendia o motivo do prefeito de Piracicaba, diferente de como está agindo o resto do mundo, vinha se negando a suspender as aulas e fechar as escolas, mesma atitude do governador do Estado de São Paulo, João Doria. “É questão de saúde pública e, infelizmente, as escolas não tem álcool gel e nem sabão à vontade para a comunidade escolar fazer a higienização necessária”, disse, ressaltando que o isolamento é o instrumento mais eficaz para se combater e resolver este problema.
Outra preocupação da líder dos professores e deputada estadual é com a vulnerabilidade da saúde pública, uma vez que não há leitos hospitalares suficientes para atender a todos que possam vir a se adoecer. “A Organização Mundial de Saúde recomenda um leito para cada infectado e o Brasil conta com um leito para cada 10 mil pessoas que possam vir a ser infectada. Por isso, também defendo que seja revogada a Emenda Constitucional 95, que limitou os investimentos em saúde e educação, para evitarmos um colapso. “É preciso desenvolver uma política de Estado neste sentido e quem está no poder tem que ter esta responsabilidade”, enfatiza.
TRABALHO À DISTÂNCIA

Frente à pandemia de contágio do coronavírus, com o governo de São Paulo finalmente atendendo solicitação para que seja suspensa as aulas nas escolas estaduais, a Apeoesp também suspende a partir desta próxima segunda-feira, 23 de março, o atendimento em sua sede em São Paulo e subsedes. O trabalho será realizado em regime domiciliar ou teletrabalho, sendo que os professores de Piracicaba, no caso de necessidade, poderão contactar a diretora estadual da entidade Leonor Peres, pelo telefone (19) 98268-9970, ou o com o secretário geral da subsede local Fábio Leissmann, pelo telefone (19) 98195-7813.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima