PL, 32 anos de lutas

Laércio Trevisan Junior

Desde fevereiro de 1988, quando foi fundado em Piracicaba, o Partido Liberal tem se constituído numa das bases críticas, oferecendo suas ideias ao debate público sobre o encaminhamento das demandas do nosso município. Já participamos com sucesso da várias eleições municipais, estaduais e nacionais, conquistando com votos e, especialmente, com muito trabalho, a representatividade que hoje atingimos.

Há 32 anos, passando pelos governos Thame, Machado, Humberto, Barjas 1,2,3, Ferrato, temos exercido com honradez a fiscalização do poder executivo em nossa cidade. Enfrentamos todas as dificuldades políticas locais e no campo eleitoral, temos sido vitoriosos. E consequentes.

Por isso, vamos para a disputa de 2020, carregando a marca da “oposição” ao atual prefeito municipal e sua equipe, incrustradas na máquina pública há 23 anos. Evidente que essa equipe legou ações importantes para o município. Mas não há como esconder que ela vive hoje o seu maior momento de desgaste. Seria honroso ao atual prefeito, despedir-se da disputa eleitoral deste ano e sair, pela porta da frente do seu gabinete, com a cabeça erguida pelos serviços prestados à cidade ao longo destes anos todos.

Mas, embevecido, quer tentar o quarto mandato. Mesmo carregando mais de 300 processos, cinco dos quais já julgados em segunda instância que o condenou por improbidade administrativa.

Formado por profissionais liberais, lideranças comunitárias, empresários, intelectuais, o Partido Liberal segue a tradição desde o século XIX, quando em 1823, o nosso partido lutava desde a minoridade do Imperador D.Pedro II, para que as finanças do país fossem controladas sim pelo poder nacional, em conformidade com as maiores necessidades do poder provincial, no caso hoje, as nossas cidade. O slogan-compromisso menos Estado, mais município, vem de longe.

Temos objetivamente hoje no cenário local, grandes chances de arejar o poder com novas ideias e lideranças. Mesmo com a força da máquina administrativa, que lhe dá uma coligação branca e antidemocrática apoiada por 12 partidos, o atual prefeito vem de uma derrota espetacular nas eleições presidenciais. Seu candidato a presidente, Geraldo Alckmin fez pouco mais de 10 mil votos na cidade, sendo fragorosamente derrotado pelo presidente eleito, que fez 180 mil votos. O tsunami de 2018 está rondando novamente a cidade e, esperamos, nos ajude a varrer os velhos costumes, da velha política local, ensejando a oportunidade de outros setores a reconquistarem o espaço para serviço da sociedade. E não apenas para servir-se da sociedade local para seus planos e empreendimentos pessoais.

Nove partidos prometem entrar na disputa contra o atual prefeito. E, no segundo turno, a unidade deles poderá ser decisiva para que possamos ter um serviço de águas melhor, transportes mais adequados, lixo recolhido diariamente na cidade, ruas sem buracos, serviços de saúde sem filas intermináveis, todas as crianças nas escolas e menos oba oba. O Partido Liberal vai entrar nessa disputa com muita determinação. E com a certeza de que, como partido crítico, haverá de ter o seu reconhecimento público diante da sociedade local.

______

Laércio Trevisan Junior, advogado, vereador, presidente do PL em Piracicaba

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima