Passe de Letra – Edição do dia 29/02/2020

Ainda voltaremos a atravessar a fronteira do Estado

Olá, amigo leitor e torcedor do alvinegro mais importante do planeta! Uma honra para nós receber sua companhia, semanalmente, em nosso espaço democrático e livre de amarras e mordaças. Sejam muito bem vindos e suas opiniões e críticas serão aqui publicadas, se esta for sua vontade.

O nosso XVzão, mais uma vez, perdeu a oportunidade da glória e de encher os cofres do clube tão carente de recursos (?). O vilão mais uma vez foi o próprio XV!  Como assim colunista corneta? Podem indagar os mais próximos aos que comandam o time dentro e fora das quatro linhas, mas posso explicar minha visão dos fatos: O time cai de produção tática e física na segunda etapa por várias oportunidades, e contra o Juventude não foi diferente, o planejamento e disposição tática imposta (única), não é acompanhada pelo condicionamento físico dos atletas, basta verificar as principais derrotas e poderão constatar o fato relatado. Vários gols sofridos nos minutos finais, pressão do adversário, cartões desnecessários e mau posicionamento em campo são os provas da teoria.

O elenco é bom tecnicamente e teria condições de brigar com qualquer equipe do mesmo nível  facilmente, mas a falta do condicionamento, aliado ao plano tático já batido e sem variações, está colocando o Nhô-Quim um passo atrás dos seus adversários. A desculpa da falta de estrutura não me comove, fomos campeões da Copa Paulista em 2016 com menos dinheiro e com um plantel menos favorecido tecnicamente, e contra a Inter de Limeira nas finais da A2 de 2019 ficou muito nítida a derrota por falha de equilíbrio emocional no comando.

Quem está realmente preocupado com a instituição XV, e não com as pessoas que hoje figuram no comando, deveria abrir os olhos para onde não cabem desculpas, o time está com preparo físico fraco, o plano tático está sendo facilmente anulado por adversários melhor treinados e as derrotas perante o torcedor se acumulam. Alguém aqui viu inferioridade do XV perante o Juventude enquanto teve pernas? Bastou marcar um gol, e com a diminuição de força física a pressão foi total. Onde estava o marcador do atleta que escolheu aonde colocar a bola no gol de empate?

O futuro sempre é o aliado em quem tem esperanças, sei que o alvinegro voltará a brilhar tanto no estadual quanto no nacional, basta os comandantes atuais abrirem os olhos e ao invés de favorecer pessoas, volte toda sua força em fazer crescer o clube, ou que uma próxima gestão o faça, nós continuamos na torcida!

Mande seu recado pelo e-mail: [email protected] ou pelo Whatsapp (19) 99926-0030.
Luiz Tarantini é repórter esportivo, comentarista esportivo, marketing comercial e colunista


 

Lembrar o passado, para não cometer os mesmos erros no futuro

Quarta-feira de Cinzas, Carnaval acabando, chuva caindo sem parar e era dia do nosso XV buscar a classificação para a 3ª fase da Copa do Brasil. O adversário era o Juventude, equipe gaúcha, jogo como sempre difícil, mas quem torce pro Nhô Quim sabe que o jogo só termina aos no apito final.

E esta última frase, mais uma vez se fez valer. O alvinegro começou o primeiro tempo ao seu melhor estilo, indo pra cima, arriscando,tentando de todas as formas, porém o gol só saiu no começo da segunda etapa com Daniel Costa. Independente de ser adversário A ou B, no segundo tempo após o tento, como sempre o XV passou a jogar para trás, recuou, parou de arriscar, deu espaços e coragem ao adversário e como nós que somos torcedores já conhecemos, o resultado desse recuo do time foi o que? Gol dos visitantes.

Como na maioria das vezes, luta, garra e raça dos atletas não faltaram, tentaram segurar até o fim, mas não deu, essa postura tática frágil e ultrapassada mais uma vez tirou a oportunidade do torcedor comemorar algo, e infelizmente nas penalidades demos adeus. O lado mais triste da história fica com o grande goleiro Mota que fez grande partida, porém foi do céu ao inferno, não que a responsabilidade esteja em suas costas, mas errou feio sua cobrança.

Agora, pensando bem, a maioria da torcida, imprensa e público em geral vendo que uma coisa não deu certo ou não está dando, sempre buscam melhorar ou mudar para não errar de novo, se já ficou nítido que toda vez que o XV para de jogar na segunda etapa e apela para os “bicudos” para frente, o time morre e leva o gol, Já está provado em três oportunidades importantes que não funcionou, para que ficar insistindo nisso? Eis a questão… O jeito é esperar e torcer para o  melhor, apoio e raça da nossa parte como torcida nunca irão faltar!

Guilherme Oliveira é estudante do 2° ano Ensino Médio e torcedor fanático do Nhô Quim


 

CYBER ATLETA

Fala ae, galera! Essa semana não tem notícias boas para os amantes de games e tecnologia. Várias empresas estão preocupadas com grandes aglomerações de pessoas em lugares fechados, pois podem agravar e ajudar na transmissão do coronavírus. Outro ponto de bastante preocupação é a falta de cura deste vírus até o presente momento, sendo assim, muitas empresas não querem arriscar que seus funcionários viagem para outros lugares e países, correndo algum risco de contágio.

A cada semana que passa, mais e mais empresas de renome, tais como Sony, Facebook, EA cancelaram sua participação em um das maiores feiras de desenvolvedores de games do planeta, que por enquanto está com a data confirmada para os dias 16 a 20 de março. A Game Developers Conference, popularmente conhecida como GDC, vai ocorrer na cidade de São Francisco, nos Estados Unidos. Essa feira é a responsável por apresentar ao mercado de games as próximas tendências e o que se esperar para o ano de 2020.

No começo deste mês a Mobile World Congress 2020, conhecida como MWC, foi cancelada, tanto porque as empresas que iriam decidiram não ir mais, bem como se criou uma grande preocupação com a saúde dos visitantes, já que os eventos são todos realizados em lugares grandes e fechados. O impacto desta doença já chegou às gigantes de tecnologias. Nintendo e Apple já reportaram que pode haver falta de seus produtos em breve, tendo em vista que algumas fábricas ainda estão fechadas e fornecedores estão com baixo estoque de peças.

No mundo dos eventos esportivos já se contabiliza mais de 100 eventos que foram adiados, cancelados ou transferidos para outros lugares, alguns desses eventos têm ligação direta com as Olimpíadas de 2020 que ocorrerão em Tóquio, prejudicando a definição final da classificação dos atletas para os jogos. Já no mundo do futebol, o presidente da Federação Italiana de Futebol, pediu ao Ministério dos Esportes da Itália que, ao invés de cancelar os jogos que ocorreriam na região que sofre com o vírus, que sejam realizadas as partidas com portões fechados sem público, tal medida vem após o aumento de casos de coronavírus no país. Por hoje é só. Tomem cuidado e fiquem ligados nas próximas colunas! Winner, winner, chicken dinner!

Alexandre MuziParisotto ou Dyno é syber atleta e sócio proprietário da FK Company


 

Onde queremos chegar?

Bom dia, caríssimos leitores desta coluna! Sempre gosto de falar dos temas atuais e com um olhar neutro. Pois, na vida, sempre temos os dois lados da moeda. E, o futebol é um tema rico e variável em seus assuntos. Hora um time está por cima, hora por baixo. Mas será que todos os clubes não deveriam estar num mesmo patamar? Por que tanta diferença, sendo que existem vários grandes clubes no Brasil?

E temos exemplos ao longo desta nossa história, de clubes campeões brasileiros, fora do estereótipo de grande. Guaraní, Bahia, Sporte Recife, Atlético Paranaense. Estes foram campeões, os demais, a partir de 1970 para os tempos modernos, não houve surpresas. Só os grandes chegaram. E, porque estes fora do seleto clube dos grandes chegaram? Várias respostas… Qualidade individual, grupos fantásticos, gerações brilhantes, aliadas a boas gestões.

E agora temos o Rubro Negro carioca como modelo. Pois bem, trouxeram um treinador para substituir um outro, que já era consagrado aqui, Abel Braga. O Jesus está fazendo tanto sucesso que a moda pegou. Pegou, mas não durou. Avaí trouxe o português Augusto Inácio para tentar repetir a fórmula rubro negra. Já foi demitido. O Atlético-MG trouxe o venezuelano Rafael Dudamel. Era treinador da seleção venezuelana. Também não suportou a eliminação na Pré-Libertadores e Copa do Brasil, nesta última quarta-feira, pela inexpressiva equipe do Afogados-PE. Será que os estrangeiros não são tão bons assim? Temos o Tiago Nunes no Corinthians fazendo uma campanha, que se fosse em outros tempos também já teria perdido o cargo. Já no Internacional-RS o argentino contratado parece estar dando conta do recado.

Eduardo Coudet classificou o Internacional-RS para a fase de grupos da Libertadores. Neste caso também está dando certo. É muito importante esta troca de experiência entre culturas, para exercitar o modelo ideal. Não podemos achar que em uma equipe está dando tudo certo e então iremos copiá-la. Ao mesmo tempo, os treinadores brasileiros também podem dar jeito. Pois tem muita capacidade. Será que a gestão flamenguista acertou na mosca? Todos acreditam que sim. Mas temos que dar tempo ao tempo, pois, só o conhecimento e a experiência podem trazer maturidade aos seus comandantes. E no futebol e na vida, ninguém tem bola de cristal para adivinhar o futuro.

Somente o tempo dirá se as mudanças foram produtivas. Corinthians, Santos, Atlético-MG, Avaí-SC, Botafogo-RJ, Sport-PE, Ceará, etc… e muitos outros clubes que já demitiram seus treinadores, somente o tempo é que vai dizer onde eles pretendem ou pretendiam chegar. Solução básica, aprender mais e melhorar a gestão! Bom fim de semana a todos.

Douglas Pimenta é ex-jogador de futebol, ex-técnico de futebol e gestor de carreira de atletas


 

Cansado de ver festa dos outros na nossa casa

Olá, amigos quinzistas! Vamos para mais uma edição da coluna esportiva Passe de letra, do jornal A tribuna Piracicabana, onde a gente expressa nossa opinião sobre o futebol em geral com ênfase ao nosso Quinzão de Piracicaba, que na vitória ou na derrota esta em nossos corações como diz até no hino. Hoje, edições especiais no final da matéria vão para análise e notas do jogo diante do Juventude, na quarta-feira, jogo que aliás, vimos o time adversário fazer festa na nossa casa, de novo, coisa que sinceramente me deixa muito triste.

Não é criticando nem cornetando, não. Isso é apenas um sentimento que novamente dava para ir mais longe, que merecia mais. Olha a importância desse jogo, se o XV tivesse passado. Iria lucrar mais 1,5 milhão, e a próxima fase iria dar a oportunidade de ter mais dois jogos com chance real, pois o adversário viria do duelo entre Flamengo-PI x America RN e assim, futuramente, poderia até vir um gigante do futebol em Piracicaba.

O XV foi superior no 1°tempo. Poderia ter saído na frente do placar. No 2° tempo, fez o gol no começo e depois recuou, foi onde deu espaço para o gol do empate do Juventude. O atleta alviverde ficou livre de marcação na entrada da área e acertou a gaveta do goleiro Mota, que nada pode fazer. Logo após, veio a expulsão do jovem atacante quinzista, que por pior que estivesse a arbitragem, poderia ter sido evitado. O XV foi sufocado até o fim e conseguiu levar a decisão às cobranças de pênaltis. Um pouco de displicência dos nossos jogadores e do nosso goleiro Mota, que fez boas defesas ao decorrer do jogo, mas como atleta da posição principal no momento, não percebeu que o Juventude só chutava de um lado as cobranças, e não aproveitamos as brechas adversárias e fomos mais uma vez eliminados em nosso estádio, na presença da torcida que mesmo debaixo de chuva compareceu para apoiar.

O XV foi superior ao adversário até a parte física. Mais uma vez, fazer a diferença, o desgaste e a falta de opções no time em quase todos os setores foi fundamental. É fato que já é de conhecimento de todos esses problemas, e que o treinador está fazendo o possível e o impossível. Estão todos de parabéns. Meu sentimento nessa matéria não é reclamação, nem de criticar. É mais mesmo o sentimento de ver da arquibancada o adversário, mais uma vez fazendo festa na nossa frente, diante da nossa torcida, apenas isso. Me despeço, com um grande abraço. Obrigado, a todos pela oportunidade, não quero ter razão. Quero a 1ª divisão, vamos para análise e notas: Mota: Nos 90 minutos foi bem fez defesas importante inclusive uma cara a cara, achei que pecou na reposição de bola nos pênaltis faltou inteligência em perceber a tática do time do Juventude. nota 7. G.Alemao: Fez uma partida regular que não é normal, não estava numa noite feliz, nos pênaltis me surpreendeu em não meter um canudo nota 5. D.Jussani: Bom Zagueiro, guerreiro um verdadeiro xerifão, foi bem fez vários desarmes e fez sua parte na conversão dos pênaltis nota 8. Paulão: Jogou improvisado na lateral esquerda pode não ser na técnica aquele jogador mas sobra em raça, Paulão foi guerreiro todo jogo nota 7. J.Feijao: Bom lateral fez um bom jogo, sempre dedicado saiu contundido nota 7. Bruno Lima Achei que foi bem, esse tem raça brigador um cão de guarda e ainda arriscou um chute que quase fez o gol nota 7,5. Walfrido: Casemiro do Interior, achei ainda estar se readaptando após sua volta ,deu espaço no gol do Juventude junto com os demais do meio, nos pênaltis fez sua parte nota 6,5. D.Costa Sou fã do estilo de jogo do meu xará ele é uns dos jogadores do elenco do XV que pode decidir uma partida, ,um chute ou um cruzamento pode decidir é muito técnico fez o gol e fez sua parte nos pênaltis  nota 8. Kadu Barone Jogador de muita qualidade e que tem muito a evoluir teve umas decisões erradas durante o jogo que irritaram um pouco a torcida quase fez um gol num chute de longa distância nota 6. F.Cirne Jogador importante quase fez um gol também bastante dedicado canso no segundo tempo, irá agregar bastante no decorrer do ano nota 6,5. C.Mancha jogador brigador, quase fez um gol mas para um atacante acho que devia se apresentar mais ,sentiu e foi substituído nota 6. Erison: Entrou no lugar do C.Mancha machucado deu movimentação no começo mas depois foi expulso o que complicou a equipe,o Juiz foi severo demais mas poderia ter sido evitado Nota 3. Gabriel Soares Entrou faltando 15 minutos na fogueira e fora de posição futuramente podem agregar bastante sem nota. Marcelinho Entrou no lugar do Cirne foi mal perdeu a bola que deu contra ataque no gol adversário nota 2. Torcida: Deu show novamente comparece na chuva em bom número e aplaudiu o time no final nota 10. Tarcísio Pugliese Esta fazendo milagre pelas peças que tem na mão está invicto com 5 jogos sem perder nota 9

Daniel Campo é promotor de vendas e fanático pelo XV de Piracicaba


 

Lendas do Nhô Quim

Bom dia, caros leitores! Após uma sequência de cinco vitórias, na Quarta-feira de Cinzas o Carnaval quinzista terminou. Como o Pierrot chorando pelo amor da Colombina, ficamos também com lágrimas nos olhos após o empate em 1×1 e derrota nos pênaltis para o Juventude de Caxias pela Copa do Brasil! Apesar de tudo, o saldo financeiro foi interessante, cerca de R$ 1,2 milhão em caixa, sendo que se alcançasse para a próxima fase acrescentaria aí mais R$ 1,5 milhão, o que salvaria os cofres para o restante do ano.

Outra análise que se pode fazer é que, apesar da boa fase, dos jogadores se entregando com garra e vontade, falta ainda algumas peças e que se não forem trazidas teremos problemas sérios na continuação da A2. Precisamos urgente de, pelo menos, dois atacantes que venham para resolver! Macena fez muita falta e Caio Mancha não está à altura. Kadu também está numa fase terrível, se queimando a cada jogo com a torcida que já está sem paciência e pelas trocas feitas nos jogos, Tarcísio mostra que não tem reserva para a posição. Isso está limitando demais o Nhô Quim.

Essa semana também, saindo um pouco da parte esportiva, o governador João Dória, fez uma declaração infeliz, dizendo que o Estado não paga professores para “ficar em casa tomando suco de laranja e sendo preguiçosos”. Tudo bem que hoje não temos docentes como antigamente, mas eles deviam ser mais respeitados, inclusive por aquele que deveria e não dá as condições necessárias de trabalho!

Lembro que o alvinegro teve em seus quadros vários atletas que tornaram se educadores, Nelsinho (Nelson Gobeth de Camargo), Canarinho (Agenor Cortarelli), Fernando Cardinalli, Thales Castanho de Andrade são alguns, vou relembrar dois. Antônio Oswaldo Ferraz (Tonico), nascido em 01/02/1905 e falecido em 25/02/1975, foi goleiro do Nhô Quim nos anos 20, entre 1922 a 1925, fez 78 partidas e sofreu 109 gols, estreou no quadro principal do XV em 18 de julho de 1922, contra o Spartano da Capital num empate de 2×2, sua última partida foi em 3 de maio de 1925, contra o Velo Clube de Rio Claro. Essa partida que encerrou a sua passagem pelo gol alvinegro teve um lance infeliz, numa dividida de bola com o jogador Ditinho do Velo, Tonico quebrou o braço, o que o impossibilitou da prática do futebol pelo resto da vida!

Tonico além de bom goleiro era professor, pianista, escritor, crítico de arte, foi cunhado do literato Oswald de Andrade e também diretor de escola, participou da Revolução de 1932 como tenente farmacêutico. Francisco Godoy (Chico Godói), nascido em 1911, começou nas bases do XV, mas em 1927, junto a outros jogadores do clube debandou-se para a S. R. Palestra Itália (depois S. R. Palmeiras). O motivo? Consta que um zelador do antigo campo da Regente resolveu que os juvenis do Nhô Quim não podiam trocar de roupas no vestiário e sim ao ar livre. Revoltados por não ter uma defesa da diretoria sobre esse caso, vários juvenis abandonaram o clube e foram se aninhar no Palestra, onde foram Campeões Regionais nesse ano!

Em 1928, Chico Godói voltou ao XV aonde estreou no quadro principal. Foi campeão regional de 1930 e 1931, e conquistou o campeonato do Interior de 1931, até então a maior conquista do clube quinzista na história do amadorismo, e que já havia deixado escapar em 1920, quando foi vice-campeão, perdendo para o Paulista de Jundiaí. No ano de 1932, alistou-se nas tropas paulistas para lutar na Revolução contra as forças de Getúlio Vargas, assim como outros companheiros de clube, como Venerando Ribeiro do Valle, Antônio Leme, Geraldo de Toledo! Não voltou aos gramados, apenas como técnico, já que se formou em educação física. Foi secretário de educação do município, vereador, professor nas escolas Sud Mennucci, Escola Normal (onde foi diretor substituto), Colégio Assunção e Colégio Piracicabano, de 1928 a 1932, fez 62 partidas pelo quadro principal do XV e marcou 41 gols. Faleceu em Piracicaba, no dia 15 de dezembro de 1999!

João Luis de Almeida, Bacharel em Administração, corredor e quinzista sofredor

 


NHÔ QUIM NEWS

-“Descurpa” a fraqueza nas palavras, estou sem forças para cornetar.

-Perder mais uma vez com a partida nas mãos, dentro de casa, é para esticar o rabo do porco.

-O XV tá parecendo casa de pau a pique, é só brecha para todo lado.

-E o que foi essa cobrança, hein goleirão? Viu a trave na lua?

-É impossível que o Barão vire salão de festas dos times adversários.

-A expulsão do atleta do XV foi “justa”, no replay do lance é “nítido” ele xingando o árbitro pelo amarelo recebido.

-Nem começou a jogar direito e já acha que pode discutir com arbitragem? Tem muito que aprender, mas quem tem controle emocional no clube para ensinar tal melhora de postura?

-Jogador expulso dentro de campo, treinador com mais cartão amarelo que zagueiro, massagista expulso e ainda me dizem que renovar com o veterano goleiro Fábio foi para dar experiência e tranquilidade ao elenco do banco. Conta outra!

-O Juventude se mostrou limitado e foi envolvido pelo XV enquanto o time Piracicabano teve “pernas”.

-Assim que a força física acabou, junto foi o emocional, o posicionamento tático e os 1,5 milhão de reais.

-O torcedor entende o que o clube realmente perdeu além da partida?

-Tudo por insistir em proteger a teimosia e o egocentrismo de alguns.

-Parabéns aos envolvidos vêm ai cenas dos próximos capítulos!

-Até semana que vem. “Eita, como nóis gosta desse time”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima