A arrogância e a imagem

Douglas Nogueira

 

Realmente é muito difícil conviver em harmonia com uma pessoa arrogante, convencida, alguém que se acha senhor ou senhora da razão, somente ele ou ela sabem.

Na verdade segundo estudos relacionados à psicologia, indivíduos agem dessa maneira por alguns motivos teoricamente corriqueiros, como por exemplo, carência ou o grande desejo de status, de ser alguém no trabalho conquistando a qualquer custo um cargo dentro da empresa, ou ainda destacar-se perante a sociedade em que estão inseridos, são os famosos auto-suficientes, ou melhor, como o povo chama nariz empinado, chatão, chatinha ou metido (a). Infelizmente pessoas com tal design, acabam por se tornando insuportáveis e o resultado que elas obtêm é a grande ausência de amizades, adquirem então um balde cheio de inimigos gratuitos.

A arrogância é algo decididamente destruidor da imagem do ser humano. Em diversos casos o indivíduo possui uma posição social das mais altas, no entanto, não adquire o principal, o respeito das pessoas, o que conseguem então é infiltrarem na sociedade um medo desnecessário de suas imagens.

Existe ainda outro fator em que a arrogância destrói caprichosamente a imagem do ser humano. Pessoas em tese bonitas, quando demonstram quem realmente são, suas belezas então desaparecem incrivelmente como em um passe de mágica, mas é claro que a arrogância nesse caso é galopante, já que tais pessoas imaginam que a beleza que possuem é a maior ferramenta para conquistarem vitórias. Lamentável tal pensamento!

A análise profunda de si mesmo (a) traz ao ser humano uma proteção gigantesca contra a arrogância. Encontrando seus defeitos viverá melhor, evitará conflitos sociais e ganhará os mais importantes prêmios, o carinho, respeito e a amizade daqueles que o (a) cercam.

 

Douglas S. Nogueira, Técnico de Planejamento da Manutenção; Blog: www.douglassnogueira.blogspot.com ; e-mail: [email protected]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima