Coluna Psicopontocom – Edição do dia 22/02/2020

O Significado Do Corpo (IV)

A mudança social de 40 anos para cá representou entre outras coisas a entrada da mulher no mercado de trabalho onde ser amado não é o principal. Conciliar a beleza com competência e competitividade para disputar com quem já domina secularmente esse mercado tem sido um dos desafios da mulher. Talvez um dos maiores seja não privilegiar o ser amada para poder ser mais competitiva.

Mas no artigo ‘deusas do sexo’ (facilmente encontrado na internet), Arnaldo Jabor retrata um universo de mulheres que deve ser excluído desse entendimento. São símbolos sexuais, ícones nacionais fartamente dotadas de poder sexual – e consequente dificuldade de encontrar namorado – pois fizeram de seu corpo um produto de consumo televisivo, fotográfico, de passarelas. Põe-se ao consumo da beleza descartável. Em muitos casos o corpo como objeto de desejo do homem se traduz em narcisismo, umas das vertentes dessa supervalorização física.

Freud dizia que o investimento do homem quanto ao falo é focado no pênis e um grande temor de sua perda, o que o leva a desenvolver defesas imaginárias no nível do pensamento. Correlatamente a mulher se percebe com um corpo inteiro, seu falo real, já que desprovida do membro masculino, o temor de sua perda também inexiste, assumindo uma posição de objeto de desejo deste.

 

CITAÇÃO!

“A maldade é a vingança do homem contra a sociedade pelas restrições que ela impõe. […] É o resultado do conflito entre nossos instintos e nossa cultura”. (Sigmund Freud)

 

Cadastrei-me em um site de relacionamento, mas não sei o que acontece. Não me considero feia, estou bem nas fotos, tenho um bom perfil. Ao navegar encontro perfis que me agradam e deixo recado, mas não obtenho resposta. Quando chega recado de outros logo percebo que só querem sexo. Estou me desanimando.

 

Como pode perceber, o mundo virtual permite múltiplas possibilidades simultaneamente. Tanto você quanto eles escolhem a quem enviar recados e quais dos recebidos respondem. Essa dinâmica não acontece no real.

Acho mais difícil (não impossível) iniciar um relacionamento sério virtualmente, com envolvimento, e mantê-lo. Surgem mais idealizações, os conceitos que fazemos da pessoa logo dá espaço à decepção, etc. Além disso, com a banalização do sexo nos tornamos descartáveis.

Você já percebeu que o modo como se vê não é como os outros lhe vêm. Suas escolhas não têm sido retornadas, não necessariamente por uma questão pessoal física ou outra qualquer. Encontrar alguém exige persistência e fé, e ‘dar o clique’ depende do encontro dos olhares.

Ao enviar um recado a pessoa que o recebe fica em posição de vantagem. Ela tem seu recado ali, não é uma obrigatoriedade responde-lo, certo? Você fez uma prévia seleção para enviá-los, eles podem fazer o mesmo para decidir responder ou não. Aprender a lidar com o não é sinal de maturidade.

 

Leitor: Opine, critique, sugira temas nesse espaço. Use até 200 toques. Sigilo absoluto.

Blog:  http://pedrogobett.blogspot.com/
Facebook: fb.com/psicopontocom
E-mail: [email protected]
Correspondência: Praça José Bonifácio, 799
13.400-340 – Piracicaba/SP – (19) 99497-9430

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima