Fapesp, Koppert e Esalq investem R$ 40 mi em centro de pesquisas

Solenidade de lançamento do Sparbio e pronunciamento do diretor, José Roberto Postali Parra – Crédito: Gerhard Waller

 

A Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), a Koppert Biological Systems e a Esalq/USP (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz) investirão R$ 40 milhões nos próximos anos em um centro de pesquisas que terá como foco o desenvolvimento de um novo modelo de manejo de controle de pragas e doenças para a agricultura brasileira, mais sustentável.

 

Os investimentos no SparcBio (São Paulo Advanced Research Center for Biological Control) serão feitos pela Fapesp, por meio do programa Centros de Pesquisa em Engenharia, e pela Koppert, e terão como contrapartida recursos da Esalq para infraestrutura de pesquisa e custos de pessoal. O centro terá como meta a transferência de conhecimento para a empresa e para a sociedade e prever, durante o desenvolvimento dos estudos, a interação com o sistema educacional, incluindo os níveis fundamental e médio.

 

O lançamento do centro foi nessa terça (11), durante cerimônia na Esalq, que sedia o SparcBio. O centro fica no Departamento de Entomologia e Acarologia, em Piracicaba, mas tem integração com outras universidades e instituições no Brasil e exterior. Há parcerias com instituições brasileiras como Unesp (Universidade Estadual Paulista), Ufscar (Universidade Federal de São Carlos), UFV (Universidade Federal de Viçosa) e Embrapa. No exterior, as parcerias são com pesquisadores de instituições como University of Minnesota e University of California, ambas dos Estados Unidos, Institut National de la Recherche Agronomique/INRA (França) e University of Copenhagen (Dinamarca).

 

O centro conta com a participação de diversos pesquisadores e especialistas diretamente envolvidos com o projeto e com as seguintes linhas de pesquisa: descoberta de novos agentes biológicos de controle; desenvolvimento de novas tecnologias e geração de conhecimento em manejo integrado de pragas e doenças. “O programa Fapesp de Centro de Pesquisas em Engenharia tem despertado enorme interesse por parte de empresas inovadoras no Brasil e exterior. No SparcBio, a equipe liderada pelo professor José Roberto Postali Parra, um dos maiores especialistas em controle biológico no País, se associa à Koppert, empresa com tradição em P&D avançada. Este será o 13º Centro criado pela Fapesp nos últimos cinco anos, demonstrando a vitalidade da interação universidade-empresa em São Paulo”, afirma o diretor científico da Fapesp, Carlos Henrique de Brito Cruz.

 

O diretor industrial da Koppert, Danilo Pedrazzoli, também destaca que a parceria para criação do novo centro de pesquisas trará benefícios a todos os envolvidos. “A universidade ganha com royalties, o governo com impostos de produtos que vierem a ser desenvolvidos e a empresa, com o desenvolvimento de novos produtos e tecnologias. Vamos deixar de ser replicadores de tecnologia para sermos geradores e disseminadores”, disse.

 

Já o professor Parra, diretor do SparcBio, ressalta a importância da difusão de conhecimento que será feita pelo centro.  “O projeto tem como um dos desafios a mudança de cultura dos produtores rurais brasileiros em relação à competitividade e reprodutibilidade das tecnologias de controle biológico, na comparação com os agroquímicos. Essa quebra de paradigma só será viável com educação e difusão do conhecimento que resultem em maior aceitação dos biológicos.”

 

FAPESP

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo é uma das principais agências de fomento à pesquisa científica e tecnológica do país. Com autonomia garantida por lei, a Fapesp está ligada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico. Com um orçamento anual correspondente a 1% do total da receita tributária do Estado, a Fapesp apoia a pesquisa e financia a investigação, o intercâmbio e a divulgação da ciência e da tecnologia produzida em São Paulo.

 

KOPPERT

A Koppert Biological Systems, líder mundial em controle biológico, está presente no Brasil desde 2011, quando iniciou seus primeiros registros. Possui duas fábricas no Brasil, a de macrobiológicos, em Charqueada, e a de microbiológicos, em Piracicaba. Com processos produtivos padronizados, seguros e altamente tecnificados, garante confiabilidade e qualidade dos seus mais de 15 produtos. A empresa conta ainda com departamento próprio de Pesquisa & Desenvolvimento para aperfeiçoamento de tecnologias de controle biológico para a agricultura tropical, ajudando a tornar a produção agrícola brasileira mais sustentável, saudável e em harmonia com a natureza.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima