Paulistão A2: XV de Piracicaba fica no empate com o Audax

Jogo do empate foi no último dia 25 de janeiro, no Barão – Crédito: Michel Lambstein

 

Parecia que a primeira vitória do XV de Piracicaba no Paulistão A2 sairia, na noite do último sábado (25), quando a equipe reencontrou seus torcedores no Estádio Municipal Barão da Serra Negra, em Piracicaba. Após abrir 2 a 0, o Nhô Quim viu seu adversário, o Audax, empatar o jogo em 5 minutos. O time piracicabano enfrenta agora, o São Caetano, às 20h desta quarta (30), no Estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul, pela terceira rodada do estadual.

 

O JOGO – O XV finalizou pela primeira vez logo aos dois minutos, com Filipe Cirne, da entrada da área. A bola saiu rasteira, à direita de Jeferson, pela linha de fundo. Já os visitantes chegaram com mais efetividade aos 20 minutos. Fábio K chutou forte, de canhota, e a bola foi por cima do gol. Uma das novidades da equipe titular de Tarcísio Pugliese, Marcelinho, que substituiu Erik Gabriel, foi outro a tentar da entrada da área, aos 21 minutos. A bola passou perto da trave direita.

 

Três minutos depois, Raphael Macena achou bem Kadu Barone, mas o goleiro adversário estava esperto e conseguiu abafar a bola nos pés do atacante. O Audax, aos 27 minutos, conseguiu uma boa escapada pelo lado esquerdo de ataque. Mota, porém, mostrou que também estava ligado e saiu bem do gol, fechando o ângulo do seu oponente. O time de Osasco assustou a torcida quinzista em contra-ataque, aos 38 minutos, que terminou em arremate de Azevedo, para fora.

 

O Nhô Quim abriu o placar aos 42 minutos. Assis cobrou falta lateral na cabeça de Macena. O artilheiro do Alvinegro não desperdiçou: Os donos da casa mostraram no início da etapa final que queriam aumentar a vantagem no marcador e foram ao ataque. Aos 11 minutos, Jefferson Feijão cruzou, Macena mandou, de novo, de cabeça e Jeferson fez grande defesa. A resposta veio logo em seguida, com Wesley, que soltou a bomba dentro da área e carimbou a trave.

 

Marreta levou perigo ao receber na área, aos 25 minutos, girar e mandar na rede pelo lado de fora. Aos 28, no entanto, Erik Gabriel foi derrubado na área. Pênalti que Daniel Costa bateu com tranquilidade e fez: 2 a 0. À essa altura, a partida parecia decidida, mas só parecia. O Audax conseguiu o empate em cinco minutos. Primeiro com Giovanni, que, aos 34, virou dentro da área e finalizou forte, no alto, e aos 39, com Jefinho, que completou sobra na pequena área.

 

REAPRESENTAÇÃO

O elenco do XV de Piracicaba se reapresentou, na tarde de ontem (27), no Estádio Municipal Barão da Serra Negra, onde a equipe empatou em 2 a 2 com o Audax, no último sábado (25). Desta forma, o Nhô Quim iniciou a preparação visando o confronto com o São Caetano, marcado para amanhã (29), às 20h, no Estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul, quando o alvinegro piracicabano tentará sua primeira vitória no Paulistão A2.

 

O grupo quinzista foi dividido em dois: os atletas que atuaram por mais de 45 minutos contra o time de Osasco, com exceção do goleiro Mota, que foi a campo, trabalharam na Sala de Fisioterapia Marcella Damas Rodrigues, enquanto os demais, à disposição de Tarcísio Pugliese, participaram de um treino técnico comandado pelo treinador. Após duas rodadas, o XV soma um ponto, já que na estreia perdeu por 2 a 0 para a Portuguesa, no Canindé, em São Paulo.

 

Pugliese não escondeu sua insatisfação com o empate sofrido em Piracicaba, depois do Nhô Quim ter aberto 2 a 0 no marcador. “Estávamos com o jogo nas mãos. Não podemos, com a vantagem que abrimos e a partida controlada, cedermos tanto campo para o adversário e pararmos de jogar e pressionar. Nós baixamos as linhas e chamamos o adversário. Este é o tipo de erro que quem quer subir e ser campeão não pode aceitar”, externou o técnico.

 

Mesmo chateado com o empate, o piracicabano Daniel Costa teve motivo para comemorar. O meio-campista converteu, aos 28 minutos do segundo tempo, pênalti marcado em cima do atacante Erik Gabriel, fazendo o segundo gol dos donos da casa no embate e o primeiro dele neste retorno ao clube, logo no reencontro com os torcedores.  “Como eu disse na minha apresentação, estou feliz de estar em casa e ainda mais de ter marcado o gol”, comentou.

 

O atleta reconhece o começo inesperado do alvinegro piracicabano no torneio, sem deixar de acreditar na força do plantel e na volta por cima. “Pelo elenco que temos e pela manutenção da base do ano passado, a expectativa em cima da nossa equipe é grande e estes dois resultados não foram bons, o que gera uma cobrança. Não era o que esperávamos. Porém, pela experiência que todos possuem, a autocrítica foi feita e este tipo de vacilo não irá acontecer mais”, analisou.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima