Pau D’Alho: antigo prédio de escola vai virar Centro Social

Gilmar Rotta, presidente da Câmara, fez todos esforços desde 2011 – Crédito: Divulgação

 

O antigo galpão onde funcionou a escola “José Piacentini” está prestes a retornar para uso da população do bairro Pau D’Alho. Sonho de educadoras que lecionaram no local e de moradores, o imóvel, que estava abandonado, foi recuperado pela Prefeitura graças a um trabalho iniciado em 2011 pelo vereador Gilmar Rotta (MDB) e virará Centro Social.

 

A obra deve ser entregue em fevereiro. Localizado em frente à capela de Santo Antônio, o futuro Centro Social tem acesso pelo km 171 da rodovia Samuel de Castro Neves (SP-147). “Nós recuperamos essa antiga escola e agora será entregue à comunidade”, destacou Gilmar Rotta, que conferiu as novas instalações em visita na tarde desta terça-feira (21).

 

A área de 4 mil metros quadrados abriga quatro salas, duas cozinhas, dois depósitos e quatro banheiros, além de quadra poliesportiva. A reforma feita pelo Executivo acrescentou pista de caminhada e bancos ao redor da construção herdada da escola e postes de iluminação externa.

 

Também houve a troca de toda a fiação elétrica e da iluminação interna, a recuperação do telhado, a pintura das paredes, a colocação de novo piso cimentado, a substituição das portas e das louças sanitárias e a instalação de rede d’água a partir do poço artesiano da capela, situado na outra margem da rodovia.

 

“Foi um trabalho que envolveu a Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento, que tomou a frente deste projeto, além das secretarias de Obras, de Esportes, Lazer e Atividades Motoras e de Defesa do Meio Ambiente. Houve uma união: cada uma cedeu mão de obra e o material que tinha, como tinta, cabos, concreto e bancos”, disse Gilmar Rotta.

 

Até a entrega da obra, devem ainda ser efetuadas pequenas correções no piso da quadra e a instalação de novas tabelas de basquete. Gilmar Rotta vai sugerir, também, que sejam recuperadas as pinturas de solo que serviam para as crianças brincarem de “amarelinha” enquanto a “José Piacentini” funcionou. “Ficará a lembrança da história da escola”, observou o vereador.

 

A ideia, segundo Gilmar Rotta, é de que os próprios moradores se organizem para cuidar da manutenção, limpeza e segurança do local. “Será a comunidade quem tomará conta. As pessoas poderão fazer atividades físicas aqui, além de usar o local para a realização de feiras de artesanato, bingos”, comentou.

 

O Centro Social deve beneficiar cerca de 200 famílias que vivem nas propriedades rurais da região. “Acompanhei as obras. A ideia de fazer um Centro Social vai possibilitar uma área de lazer e eventos para nós. O pessoal já está usando para fazer caminhadas”, afirmou o aposentado Luiz Antonio Serigatto, 61, ao lado do pecuarista José Piacentini Neto, 50.

 

LUTA

A luta iniciada por Gilmar Rotta para devolver à população o galpão onde funcionou a “José Piacentini” começou em 2011 e culminou em 2017 com a reintegração de posse da área à Prefeitura, em decisão da Justiça.

Na época, o vereador conversou com a professora aposentada Arlete Gonçalves de Camargo, cuja trajetória se confunde com a da antiga escola.

 

A educadora, hoje com 81 anos, foi a primeira docente, ao lado das colegas Maria Yara Ell Ambrosano e Marlene Teresinha Voltani Cesta, a dar aulas no galpão construído dentro da Fazenda Corcovado, na área doada pelo proprietário das terras, José Piacentini. A escola funcionou de 1972 a meados da década de 1990.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rolar para cima